A Casa da Ipiranga, ou Casa dos sete erros, estará aberta à visitação durante o Carnaval  até terça-feira, de 14h as 18h. O casarão em estilo eclético foi construído em 1884, por José Tavares Guerra e conserva afrescos, cortinas douradas e lustres banhados a ouro. A fachada ficou famosa por sua assimetria e o local é cercado de curiosidades. Selecionamos algumas para você.

1)Cerca de duzentos painéis distribuem-se por toda a casa, pintados ao longo de dez anos pelo pintor austríaco Carl Schäffer;

2)O lustre, da fundição francesa barbedienne, o mesmo usado no Palácio de Versalhes, na França, é em bronze, banhado à ouro;

3)Na antiga sala de música, as pinturas no teto recordam as viagens feitas por Tavares Guerra aos Alpes Suiços, África, Bagdá, Egito, Índia e Palestina. E suas paredes são todas revestidas por papel de ouro.

4)O espelho das portas, utilizado no século XIX como proteção para evitar que mãos sujas danificassem a pintura e a madeira, foram colocados em alguns quartos do segundo andar, também na parte de baixo da maçaneta, por causa das crianças.

5)O jardim é projeto do paisagista e botânico francês Auguste Glaziou, o mesmo projetista dos jardins da Quinta da Boa Vista, sendo o único no Brasil que ainda conserva traçado original desse paisagista.

6) No local ocorreu a gravação de clipes, apresentações musicais e performances teatrais, além de servir de cenário as novelas: “Esplendor”, “Era uma vez” e “Direito de amar”.

7)Exemplo de pioneirismo, a Casa dos sete erros foi a primeira em Petrópolis a utilizar luz elétrica. Diversos símbolos maçônicos também são evidentes na construção de Karl Spangenberg. 

Endereço
Avenida Ipiranga, 716 - Centro
Entrada paga




Nenhum comentário:

Postar um comentário