As mulheres, cada vez mais, são donas de negócios próprios e a cada ano sua participação na vida econômica brasileira aumenta consideravelmente a cada ano. Muitas dessas mulheres transformaram suas habilidades e contextos de vida em oportunidades para criar. Conheça histórias inspiradoras de quem deu a volta por cima na confeitaria.

Amanda Gomes

Apaixonada por doce, em 2018 Amanda Gomes percebeu que precisava fazer algo novo e não hesitou em optar por um Curso de Confeitaria no Senac. Nesta época ela conta que enfrentou grandes obstáculos antes mesmo de começar a empreitada. “Minha mãe e meu melhor amigo eram os únicos que acreditavam em mim”, lembra. No mesmo ano, ela foi demitida do trabalho, mas não desistiu da confeitaria que, até então, era apenas um hobby. A mudança de Magé (RJ) para Petrópolis ocorreu há meses e está sendo desafiadora.
“Sofri de ansiedade por ter vindo pra cá e não saber por onde começar, estive a um passo da depressão. Investi em vídeos e livros de auto ajuda para me erguer e fazer o que sei de melhor. Aprendi que quando está muito difícil, significa estar no caminho certo”, afirma Amanda, que já concluiu  5 cursos na área. Em sua página do instagram (@confeita_cake) ela apresenta seu trabalho e interage com seus clientes. “Sou grata por ter 979 seguidores e por me tornar confeiteira”, finaliza.

Alessandra Milagre
Analista de teste e suporte de implantação para rede hoteleira, Alessandra Milagre contou
ao Petrópolis em Cena que resolveu empreender por 3 motivos. O primeiro foi por suas memórias afetivas de criança (nas festas em família a avó e as tias faziam doces maravilhosos, principalmente o brigadeiro, que ela escondia quase todos antes da festa começar). O segundo foi pela superação, porque que não sabia fazer brigadeiro e quando tentava o doce não ficava no ponto e acabava no copinho e, o terceiro, porque ficou desempregada. Neste momento bastante desafiador e concorrido ela resolveu empreender e assim nasceu a “Brigadeiros Doces com Amor”, um negócio caseiro que vem crescendo principalmente pelo boca a boca dos clientes.
As versões que mais vendem são: crocante (Chokito), chocolate e laranja, mas ela também fabrica brigadeiros que vão desde os tradicionais, passando por gourmets e alcoólicos até a linha vegana, fitness e diet. Todos têm um ingrediente em comum: amor!
“Empreender é enfrentar as diferenças e dificuldades que existem neste relacionamento. Entre alegrias e frustrações sempre dá certo no final. Eu me casei recentemente com este sonho e me divorciei da carteira de trabalho”, conta. (@brigadeirosdoceseamor)

Ana Carolina Borges
Sabe quando você larga o emprego para empreender? Com Ana Carolina Borges foi assim. Ela deixou o emprego fixo e resolveu investir em seu próprio negócio desde maio deste ano. Tudo começou em 2016 quando resolveu fazer bolos no pote como uma forma de renda extra, passando a vender para seus colegas de trabalho. Não demorou muito para que os pedidos aumentassem.  O ponto da virada foi quando decidiu sair da cidade em busca de novidades.
“Fui para uma cidade do interior e São Paulo para fazer curso de pipoca gourmet”, conta. Assim surgiu o Piquenique no Carrinho do “Gotas de Chocolover” , uma ideia que pode ser levada para aniversários, eventos em escolas ou até mesmo em noivado e o melhor: sem gastar muito! Todas as comidinhas do piquenique ficam em cima do seu carrinho gourmet. (@gotasdechocolover)




Leia Também