Especialista fala de Retomada da Covid-19
Robson Mello




por Robson Mello*

Muitas empresas tiveram que se adaptar às pressas para as diversas mudanças que ocorreram nos modelos de negócio de forma geral com o advento do Covid-19. Tal fato, fez com que houvesse uma corrida por novas ferramentas de trabalho para o home office, adaptações na forma como atender e conquistar clientes ou até mesmo no produto que oferecem.

 

A tecnologia nesse momento foi a principal aliada para essas mudanças, e as empresas que fizeram o dever de casa e possuem uma visão de futuro baseada num novo modelo de relação comercial, conseguiram responder as essas mudanças de uma forma mais natural e fluída.

 

As grandes corporações, principalmente do segmento de serviços, que já possuíam uma infraestrutura de TI madura, devido à terem grande parte de sua operação baseada em meios tecnológicos, acabaram por ter que adiantar políticas e processos a “toque de caixa”, sob pena de sofrerem um déficit ainda maior em seus faturamentos. Mas as que mantinham uma visão distorcida dos benefícios da tecnologia, ainda estão sofrendo por não terem como se adaptar a curto prazo, em sua maioria porque possuem estratégias de negócios consolidadas e com modelos de gestão complexos, que não permitem respostas rápidas.

 

Mas, e os pequenos negócios? Estes,  tiveram que se adaptar buscar meios que viabilizassem o mínimo de sustento para conviver com a essa crise. Mas talvez esse problema pode ter sido um gatilho para uma nova caminhada, para gerar novos modelos de negócios e oportunidades de mercado.

 

Mas será que esses pequenos negócios possuem ambiente tecnológico propício para garantir essas adaptações e se manter firmes no mercado? É muito dificil pensar em investimento num momento em que empreendedores estão “apertando os cintos”, mas talvez pensar nisso seja se antecipar ao que está por vir.

 

A curto prazo será necessário se readequar ao mercado, investindo em relacionamento não presencial ou com o mínimo de contato, utilizar-se das diversas ferramentas digitais disponíveis, e para isso será necessária uma infraestrutura de TI que garanta tais mudanças.

E a operação diária? Essa será a mais afetada, pois grande parte das empresas percebeu que o home office pode ser uma oportunidade de redução de custos e aumento de produtividade, pois com estratégias e ferramentas corretas é possível informatizar muitos processos e relações. A informatização não necessariamente leva a automatização de tarefas, o que poderia causar mais demissões, mas sim a maior eficiência e eficácia na construção de produtos finaispara o seu negócio.

 


Contudo, é possível entregar melhor e com menor custo? Não será a hora de mudar o conceito? De vislumbrar oportunidades e reconhecer que a tecnologia é mais que um artifício de suporte e sim um ativo estratégico?

 

A tecnologia pode ser sua aliada, basta perceber como ela pode lhe proporcionar a sustentabilidade do seu negócio.

 

E aí? Você está preparado?

 

(*) Robson Mello é formado pela Fase em administração de empresas com ênfase em sistemas de informação, possui outras três formações na área de Gestão e desenvolvimento empresarial, Gestão de TI e Gestão de projetos. Possui vasta experiência no setor de saúde, em especial em tecnologia da informação. Sua formação é focada em gestão estratégica de negócios e no uso da tecnologia como aliada na busca por resultados.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis