O mês caracterizado por sol, verão e altas temperaturas, acende o alerta para os cuidados em relação à saúde de mulheres. O câncer do colo do útero, terceiro tumor maligno mais frequente em mulheres, é alvo da campanha “janeiro verde”, que tem o objetivo de mobilizar a população sobre os hábitos corretos em relação à doença e formas de prevenção, além da importância do diagnóstico precoce.

 

Segundo o Radio Oncologista Daniel Przybysz, que faz parte da equipe da Radioserra – centro regional de radioterapia, a região é a porta para infecções que são caracterizadas pelo Papilomavírus Humano – HPV, que atinge homens e mulheres. A doença, segundo o especialista, está atrelada a atos ambientais e sexuais. “O HPV circula de forma comum por aí, é um vírus que ao longo dos anos vai causando processos que acabam desenvolvendo o câncer, pois as células passam a se desenvolver de forma desordenada”, explica.

 

A doença, que é responsável por cerca de 16.590 novos casos e 6.526 mortes por ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer, é muito comum em países como o Brasil, China e África. De acordo com o médico, é importante manter cuidados externos e internos, em relação à área que pode ser potencialmente atingida pelo câncer. “É importante observar que não pode haver nas peças íntimas resíduos de urina, não se pode repetir o item por dias seguidos, fazer diversas relações sexuais sem que haja uma higienização entre elas, pois tudo isso pode trazer o surgimento do vírus, assim como no homem pode trazer o câncer de pênis”, detalha Daniel. 

 

O especialista diz que uma das formas de prevenir estes casos é a vacina contra o HPV, que faz parte do calendário de imunização do Ministério da Saúde. “A vacina consegue evitar que o vírus se perpetue dentro de nós, ainda que tenhamos contato com ele. É uma medida altamente inteligente e eficaz. A falta de conhecimento leva muitas pessoas a não se imunizarem, mas o esclarecimento é necessário para que todo cidadão possa passar a garantir uma maior segurança em relação à doença”, reforça.

 

O especialista orienta ainda sobre a importância do acompanhamento ginecológico, com o exame do preventivo. O procedimento deve ser feito de tempos em tempos e pode ajudar a garantir o diagnóstico precoce. Através do olhar aprofundado sobre o colo do útero, é possível obter melhores informações e descobrir a doença logo de início.

 

Em casos mais avançados, o câncer do colo do útero pode manifestar alguns sintomas como sangramento vaginal, corrimento, dor pélvica ou nas relações sexuais. Os tratamentos podem variar de acordo com cada caso, mas em alguns casos envolvem procedimentos como a retirada de parte do colo do útero, quimioterapia e radioterapia, que são os mais aliados nesta fase, evitando que a doença se espalhe para outros lugares.

 

O médico pontua que em alguns casos, é necessário realizar ainda a braquiterapia, procedimento feito de forma interna, trazendo a radiação de forma direta. Ele reforça ainda que as taxas de sobrevida diante do diagnóstico precoce e tratamento, chegam a mais de 90%.

 

No que diz respeito ao tratamento, Petrópolis está completamente apto para o atendimento das mulheres. Na Radioserra, por exemplo, há 02 aceleradores lineares e tecnologia de ponta, bem como equipe multidisciplinar de alta qualidade com Radio-Oncologistas, Físicos Médicos, Dosimetristas, Enfermeiros Oncológicos e Técnicos qualificados para atendimento, proporcionando melhor tratamento e qualidade de vida ao paciente, antes, durante e após o tratamento.

 

Em casos em que a mulher esteja em idade fértil, os tratamentos iniciais, podem permitir com que a paciente possa engravidar normalmente. Em casos em que há a radioterapia na pelve, o procedimento deixa a mulher estéril, pois os ovários entram no campo da radiação. “É importante deixar a paciente ciente para que isso não deixe um trauma futuro”, pontua o radio oncologista. 

 

Mais informações sobre o assunto podem ser obtidas na Radioserra – Centro Regional de Radioterapia que fica localizada à Rua Dr. Sá Earp, 309 – Parte (25625-073) Morin – Petrópolis/ RJ e mais informações podem ser obtidas através dos telefones (24) 2246-1724 e (24) 2237-5742, no site www.radioserra.com, Facebook: @radioserraradioterapia (https://www.facebook.com/radioserraradioterapia) e Instagram @radioserraradioterapia (https://www.instagram.com/radioserraradioterapia/).

 (Edição: 22/01/2021)

 

 

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis