As questões ambientais estão presentes nos projetos desenvolvidos através do edital realizado pelo Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), referente à Lei Aldir Blanc. Na semana do Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março, a população pode acompanhar como a arte pode servir para importantes reflexões sobre sustentabilidade, meio ambiente e boas práticas de respeito à natureza.

 

“Em meio a pandemia, a arte vêm sendo um grande alicerce para o entretenimento da população, já que a programação do edital tem sido, em sua maioria, on-line, possibilitando diversão sem aglomeração”, destacou o prefeito interino Hingo Hammes.

 

Estão sendo desenvolvidos projetos na linha audiovisual, entre eles o documentário DO CAMPO AO HORTO, dirigido por Cissa Borges e Tomás Camargo. Os diretores citam a importância do projeto no momento atual, da pandemia, diante de uma crise ambiental e da saúde. O documentário busca mostrar os protagonistas do campo e exibir suas realidades, além de provocar diálogos sobre a sustentabilidade dos meios de produção. Em breve, o público poderá assistir.

 

Outro projeto na área do audiovisual que resgata uma bela história é CONTANDO A HISTÓRIA DO AGROECOVIDA, que fica no Bonfim, em Corrêas.  O projeto proposto pela designer e arquiteta Miriam Barrutia, nascida na Guatemala e moradora de Petrópolis há nove anos, tem como objetivo principal, dar visibilidade ao lugar e promover as atividades que acontecem no espaço, estimulando novas formas de se relacionar com a natureza e os alimentos. Para conhecer, basta acessar o canal de Youtube AGROECOVIDA Fabiano Azevedo. 

 

“Esse espaço carrega uma trajetória muito bonita. Não é apenas um lugar onde encontramos produtos de qualidade. A relação do Fabiano com a terra e com tudo o que ele planta é algo profundo, que permeia todas as atividades, desde a plantação até a entrega das cestas”, conta Miriam Barrutia.

 

A moda também está presente nos projetos que privilegiam as discussões ambientais. Entre os que falam sobre o tema, o painel sobre o desenvolvimento da moda em Petrópolis: MODA, CULTURA E SUSTENTABILIDADE, de Dafne Souza, formada pela Escola de Belas Artes da UFRJ em figurino, já teve início e pode ser acompanhado no Youtube Atelier Dafne Souza. O projeto consiste em uma série de sete vídeos com entrevistas e mesa de debate a fim de traçar um perfil do segmento de moda no município, seus desafios e o comportamento do mercado do trabalho e gerar reflexão do papel da moda na formação cultural da sociedade como um todo.

 

Outro projeto que usou a moda como expressão artística é o MODA VIVA, idealizado por Camila Filardi Leal, produtora cultural, fotógrafa, ativista da sustentabilidade, dona de empreendimento de venda de peças de época e representante local do movimento Fashion Revolution. Moda Viva é um programa da web com quatro episódios que abordam questões como a história da moda na cidade de Petrópolis, movimentos locais, sustentabilidade na moda, dicas de estilo, tutoriais rápidos e práticos de resgate e reaproveitamento de roupas e tecidos, entre outros. Pode ser visto no Canal de Youtube Moda Consciente Petrópolis.

 

“Cada dia mais, a consciência ambiental é necessária, pois há recursos na natureza que, se desperdiçados, não retornam mais, como a água. Projetos que discutam esta temática na arte são, além de muito importantes, urgentes”, frisa Catarina Maul, gerente do Centro de Cultura Raul de Leoni.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem