Vereador Yuri Moura  - Foto: ASCOM CMP



O aumento na ocupação de leitos clínicos e de UTI em Petrópolis, além das mais de 600 mortes e crescimento nos casos em análise tem alarmado os petropolitanos. No início desta semana, a prefeitura anunciou novas medidas restritivas e prorrogou o prazo de outras. Entretanto, para o vereador Yuri Moura, é preciso a tomada de ações mais enérgicas e imediatas. 

 

Ele anunciou, ontem, que pretende atuar em quatro frentes a partir de uma indicação legislativa do mandato: defender medidas mais restritivas, criar uma campanha pelo projeto Renda Básica Petrópolis, de sua autoria, e propor a criação de um gabinete de crise no executivo junto aos setores mais atingidos pela pandemia na cidade. Em paralelo, o vereador está construindo um comitê popular com estudiosos da área para acompanhar diariamente, dialogar e propor novas medidas à prefeitura, entendendo que essa ação pode acelerar a constituição do gabinete de crise por parte do governo municipal.

 

Quanto às medidas propostas, o vereador defende 12 a serem adotadas com urgência, como o adiamento do retorno às aulas presenciais por pelo menos 45 dias, mais rigidez nas barreiras sanitárias, ampliação do horário de atendimento nos bancos, disponibilizando mais funcionários e garantindo proteção aos trabalhadores, testagem em massa e multas, através de edição no decreto atual. para quem descumprir medidas de proteção mesmo após abordagem de conscientização, como o uso de máscaras, ou aglomerar em eventos e festas. 

 

A retomada de 100% da frota de ônibus também consta dentre as ações. Nesta semana, Yuri pediu atitudes mais duras da CPTrans contra as empresas de ônibus e disse que iria ao Ministério Público por crime contra à saúde pública. Na terça, a prefeitura informou que também vai à justiça pela retoma da frota:

 

“A nossa luta pelo retorno de 100% da frota já é antiga e ganhou mais força com essa movimentação da prefeitura. Para além disso, queremos também a recomposição de linhas, ampliação dos horários e recontratação de rodoviários demitidos durante a pandemia”, disse Yuri, que também defende a distribuição em massa de máscaras e álcool 70 e a mensuração, por tecnologia, das taxas de distanciamento social.

 

Junto às medidas mais duras, Yuri Moura propõe, de forma coordenada, a criação de um gabinete de crise por parte do executivo, com participação de segmentos mais atingidos pela pandemia na cidade. Além disso, anunciou a construção de um comitê popular, contando com a presença de profissionais da saúde, para acompanhar o cenário da pandemia diariamente, ampliar o diálogo e propor mais medidas ao governo municipal:

 

“Vamos reunir estudiosos do tema, sociedade civil que pode contribuir com as ações tomadas pela prefeitura. Defendo também a criação de um gabinete de crise de forma imediata e acho que este nosso comitê vai forçar essa ação. Sei que a prefeitura tem acompanhado os números e indicado ações, mas a situação exige mais um espaço para tomada de decisões de forma imediata, isso inclui, por exemplo, discutir a possibilidade de um lockdown”.

 

Outra preocupação do vereador é com a assistência às famílias em situação vulnerável no município. Com a incerteza sobre o auxílio emergencial e o enfraquecimento da economia, milhares de petropolitanos vivem com dificuldades básicas, mesmo com alimentação. A solução proposta por Yuri é o projeto Renda Básica Petrópolis, que pretende unificar e ampliar os programas de transferência de renda da cidade, além de fortalecer a economia local. Ele anunciou, inclusive, que vai lançar uma campanha para que o projeto, de sua autoria, seja aprovado e executado pelo município.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis