Levantamento aponta que a saúde mental dos jovens brasileiros entre 18 e 24 anos foi a mais afetada durante a pandemia

 

Com o objetivo de abordar a saúde mental do jovem durante a pandemia, a Prefeitura de Petrópolis, por meio da Coordenadoria de Juventude, irá promover uma live nesta quarta-feira (22), às 10 horas. A transmissão acontecerá nas redes sociais oficiais da Prefeitura no Facebook e no YouTube, e é aberta ao público. A conversa faz parte da campanha do “Setembro Amarelo” do município, que busca a conscientização para a valorização da vida.

 

A live contará com a participação de Júlia Bender, Coordenadora de Políticas Públicas para Juventude de Petrópolis, Oswaldo Filho, diretor do Departamento de Saúde Mental da Secretaria de Saúde, da Doutora Leandra Iglesias, Coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) AD Fênix, e da psicóloga Lívia Maciel.

 

Júlia Bender, Coordenadora de Políticas Públicas para Juventude de Petrópolis, aponta que um levantamento inédito feito pelo Ipec (Inteligência em Pesquisa e Consultoria), constatou que entre os brasileiros, a saúde mental dos jovens entre 18 e 24 anos foi a mais afetada durante a pandemia da Covid-19. “Com a chegada da pandemia, sintomas de ansiedade, tristeza e quadros relacionados à saúde mental foram intensificados. Nosso objetivo com essa live é chamar a atenção para esse tema e assim esclarecer algumas dúvidas sobre como lidar com os efeitos desse isolamento social e como o jovem pode se prevenir das consequências negativas da pandemia, em sua saúde mental”.

 

O diretor do Departamento de Saúde Mental da Secretaria de Saúde, Oswaldo Filho, atua há 33 anos na rede pública. Ele destaca a forma de atendimento para as pessoas nos equipamentos do município: “Disponibilizamos todo o acompanhamento e atendimento para pessoas que precisam de suporte psicológico em nossa rede de saúde. Para ser atendido por um psicólogo, basta ir até a unidade de saúde mais próxima, que os médicos irão fazer o encaminhamento para os Ambulatórios de Saúde Mental. Em casos mais graves, as pessoas podem se encaminhar diretamente para os Centro de Atenção Psicossocial (Caps)”.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) “a saúde mental é caracterizada por um estado de bem-estar no qual uma pessoa é capaz de apreciar a vida, trabalhar e contribuir para o meio em que vive, ao mesmo tempo em que administra suas próprias emoções”. A saúde mental e todos os sentimentos merecem carinho e cuidado.

 

Se algo acontecer e modificar a dinâmica deste conceito, o Centro de Valorização da Vida (CVV), uma ONG filantrópica de utilidade pública, oferece serviço gratuito, 24 horas por dia, para quem desejar falar sobre o que está acontecendo. Fazendo o contato pelo número 188, as pessoas são acolhidas e são ouvidas de forma humanizada e sigilosa.




Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem