Juvenil Santos será o coordenador do Gabinete da Cidadania; e Tiago Ezequiel, coordenador da Casa dos Conselhos

 

O prefeito Rubens Bomtempo anunciou, nesta quarta-feira (29), os nomes de Juvenil dos Santos Reis como novo coordenador do Gabinete da Cidadania; e Tiago Ezequiel como coordenador da Casa dos Conselhos. Eles terão a missão de gerir um modelo de participação popular que envolva as associações de moradores e entidades da sociedade civil. Além disso, a Prefeitura projeta o novo Orçamento Participativo, com deliberação por parte dos conselhos municipais.

 

“Estamos restabelecendo o diálogo para reconectar o poder público e a sociedade civil organizada. Vamos retomar o diálogo com todas as entidades que representam os moradores e as comunidades, como as associações de moradores e conselhos populares, em um programa que promove a gestão democrática e a participação popular. A democracia representativa e a democracia participativa andam de mãos dadas, e esse será um dos principais eixos do nosso governo”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

 

A secretária-chefe de Gabinete, Luciane Bomtempo, disse que a reformulação das políticas públicas tem o objetivo de retomar um trabalho que ficou parado nos últimos cinco anos. “Nossa proposta é revalorizar os conselhos, as associações e as lideranças comunitárias, que são muito importantes. A transparência e o diálogo são duas das principais marcas do nosso governo”, afirmou.

 

O novo coordenador do Gabinete da Cidadania, Juvenil Reis dos Santos, destacou a importância da retomada das políticas públicas junto às pessoas mais humildes. “Nas duas passagens pela Secretaria de Governo, fizemos esse papel de articulação entre os diferentes setores da sociedade civil organizada. O nosso governo tem uma proposta muito clara de fazer a política voltada para o povo”, lembrou.

 

Novo coordenador da Casa dos Conselhos, Tiago Ezequiel lembrou que “não existe caminho melhor para fortalecer as políticas públicas” que a participação popular. “O governo sinaliza de forma clara que a voz do povo não vai ser calada pelo poder público. Vamos exercer uma das metas da gestão, que é dar voz à periferia”, disse.

 

O anúncio foi acompanhado pelo vereador Gil Magno, que elogiou a proposta do novo governo de construir um novo Orçamento Participativo – cuja destinação de verbas será decidida pelos conselhos municipais. “Já que os conselhos são representações da sociedade civil, por que não dar voz? Essa proposta é fundamental. Além disso, considero importante dar voz às associações de moradores, que atualmente se sentem órfãs do poder público”, disse.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem