Mais de 20 linhas sofreram atrasos e perdas de viagens

 

 As empresas de ônibus em Petrópolis estão enfrentando, desde o início da manhã desta sexta-feira (7), interferências na operação provocadas pela chuva e obstruções nas vias. Além dos alagamentos, quedas de árvore, deslizamentos de terra e pista escorregadia, as operadoras ainda foram prejudicadas por incidentes de veículos particulares e estacionamento irregular, resultando em diversos atrasos e perdas de viagens em mais de 20 linhas de ônibus.

 

A Petro Ita alterou o itinerário de todas as linhas que passam pela Rua Coronel Veiga, após o transbordamento do rio, por volta das 5h30. Os coletivos foram desviados pelo bairro Castelânea por quase uma hora, até a liberação da via. No início da tarde, às 13h30, o trecho novamente alagou e os ônibus tiveram o trajeto alterado.

 

As linhas desviadas nas duas interdições foram a 401 – Alto Independência, 402 – Taquara, 406 – Doutor Thouzet, 408 – Vital Brasil, 424 – Rio de Janeiro, 428 – Vila Hípica, 435 – Alto Independência, 446 – Siméria, 454 – Vila Hípica, 466 – Alagoas, 467 – Honduras e 469 – Vila Hípica. Pela empresa de ônibus Cascatinha, a linha 504 – Carangola (Divino) não conseguiu realizar a primeira viagem, por não conseguir sair da garagem, em razão do alagamento.

 

Nos bairros, a chuva também segue interferindo na operação dos coletivos. A linha 470 – Santa Isabel está parando aproximadamente um quilômetro antes do ponto final, próximo à Igreja de Santa Isabel, em razão da queda de barreira na Estrada José Almeida Amado, no Caxambu.

 

Já as linhas 448 – Olga Castrioto e 461 – Olga Castrioto (Via Alto da Serra) estão impossibilitadas de atender a Rua João Evangélio, por conta da pista escorregadia, parando um quilômetro antes, no antigo ponto final, na Rua Indaiá. O mesmo acontece no Quitandinha, com a linha 454 – Vila Hípica, que não está passando pela Rua Rio de Janeiro, deixando de atender a um trecho de 1,5 quilômetro da Rua Friburgo, em razão da pista escorregadia.

 

Mais cedo, um caminhão ficou preso por volta das 6h30 na Rua Estados Unidos, no Quitandinha, obstruindo a pista para a passagem dos ônibus que fazem as linhas 412 - Quitandinha, 424 – Rio de Janeiro, 428 – Vila Hípica, 454 – Vila Hípica e 465 - Amazonas. Os coletivos seguiram o trajeto pela Rua São Salvador, deixando de atender um percurso de aproximadamente 900 metros, no sentido bairro. Já as linhas 437 – Amazonas e 466 – Alagoas seguiram pela Avenida Ayrton Senna. A desobstrução da pista aconteceu somente às 11h.

 

Também pela manhã, o ônibus que faz a linha 525 – Comunidade do Neylor, da empresa Cascatinha, ficou impossibilitado de atender o ponto final da região, parando 200 metros antes na Rua do Sítio, por conta do estacionamento irregular de um carro na área de manobra do coletivo, prejudicando os passageiros que utilizam o ônibus. O problema foi registrado nas primeiras viagens.

 

Os ônibus da Cidade das Hortênsias enfrentam intercorrências ao longo do dia. Desde às 7h, a queda de uma árvore na fiação da Rua Pedro Elmer interditou completamente a pista, sem previsão de liberação. Com isso, a linha 330 – Terminal Corrêas está fazendo o mesmo itinerário que a linha 300 – Terminal Corrêas.

 

A abertura de um buraco e a queda de barreira na entrada do Spartaco Banal alterou o trajeto do ônibus que faz a linha 310 – Spartaco Banal, que temporariamente está seguindo sentido Cascatinha. O coletivo está parando 400 metros antes do ponto final. Ainda pela manhã, das 7h às 10h, uma caminhonete perdeu o controle na descida da Rua Henrique Paixão, interditando totalmente a passagem da linha 302 – Floresta, que deixou de atender ao ponto final neste período.

 

Em Itaipava, a queda de uma árvore na Rua dos Tabões está impedindo a operação da linha 723 – Santa Mônica até o ponto final, desde às 5h40, deixando de atender a um trecho de quase quatro quilômetros. Desta forma, o ônibus está parando no ponto final do Santa Mônica. Na tarde de hoje, às 13h45, mais uma queda de árvore, desta vez, na entrada de Secretário, interrompeu completamente toda a operação da linha 707 – Fagundes, que voltou a circular normalmente às 16h20, com a liberação do trecho.

 

A Cidade Real foi prejudicada com a operação do ônibus que faz a linha 118 – Pedras Brancas, conseguindo realizar a primeira viagem na região somente às 9h30, devido ao estacionamento irregular de carros, principalmente, na área de manobra do coletivo. Inclusive, o problema é recorrente na região e ofícios já foram enviados ao órgão fiscalizador, pedindo providências.

O Setranspetro orienta que os passageiros baixem os aplicativos “Vá de Ônibus”, “Cittamobi”, “Petro Ita” e “Cascatinha”, para acompanhar em tempo real a localização dos ônibus em Petrópolis.

 

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem