Atores da peça “Era uma vez um  Reino sonolento” (Divulgação)

Grupo Teatral Povo do Cafundó vai estrear o infantil dentro da programação do Feespe (Festival de esquetes de Petrópolis): Era uma vez um reino sonolento, às 17h, no Theatro D. Pedro. A peça é o resultado da soma de duas histórias bem originais que foram inspiradas nos antigos clássicos contos de fada, com reis, rainhas, dragões etc, que pularam para fora dos livros para ganhar vida em um palco de teatro. 
O Reino Adormecido foi escrito pelo renomado escritor de Literatura Infanto-juvenil Léo Cunha, que se inspirou no clássico a Bela Adormecida para contar a história de um Reino Alegre, mas que ficou sem a sua amada princesa e por isso parou no tempo depois que o Rei Soberano mandou destruir todos os relógios para conservar para sempre a sua tristeza. Mas mesmo com o tempo parado o Rei começa a sentir vontade de sorrir novamente e sente o seu coração mais leve e cheio de esperança no futuro.
Quem nos apresenta o segundo reino é o também renomado e premiado escritor Ricardo Benevides, e conta uma história engraçada de um dragão que dormiu por 600 anos e acorda faminto, ele decide exigir toda a comida e as pitangas do reino, mas o que ele não sabia é que acordou no Reino Preguiçoso e Sonolento, onde o Rei e a Rainha, assim como todos os súditos só pensam em dormir e as coisas não saem exatamente como ele desejava. 
Ambos os textos apresentam um enredo lúdico, poético e divertido que encanta e prende a atenção de adultos e crianças, deixando a lição de que as tristezas e as alegrias fazem parte da vida de todos nós, e nenhuma tristeza dura para sempre e por isso não devemos perder a esperança no amanhã.

A Sinopse:
Era uma vez dois Reinos com um ritmo bem lento. Um Reino era alegre e seus súditos viviam cantando até o dia em que a princesa Clarice morre ao cair da torre do castelo. O Rei para acabar com sua tristeza decide fazer o tempo parar, e assina um decreto mandando destruir todos os relógios do reino.  Nada muda mais nesse reino, todos os dias são iguais. Os súditos para espantar o tédio dos dias iguais decidem inventar e viver uma história onde tem um dragão que dormiu por 600 anos e acorda faminto em um Reino Sonolento e bem Preguiçoso.  Mesmo sem os relógios, o tempo continua passando e um dia o Rei sente que sua tristeza já não é mais tão grande e ele acaba descobrindo que só o tempo pode amenizar a perda e a saudades de uma pessoa querida.

Ficha Técnica:
Texto: Léo Cunha e Ricardo Benevides
Direção: Rodolfo Medeiros
Elenco: Juh Leal, William Esteves, Vânia Moreira, Simone Gonçalves e o músico Lú de Oliveira.
Músicas: Ricardo Benevides e Lú de Oliveira
Cenário e figurino: Flávia Miranda
Maquiagem: Juh Leal
Produção: Simone Gonçalves
Duração: 50 min.
A peça é recomendada para crianças a partir dos 6 anos de idade.

Os Autores:
Leo Cunha é mineiro de Bocaiúva e mora em Belo Horizonte.
Escreveu mais de 60 livros, entre literatura infantil e juvenil,  crônicas e poesia. Também publicou contos e poemas em diversas antologias.
​Recebeu diversos prêmios no campo da literatura infantil e juvenil, entre os quais: João-de-Barro, Jabuti, Nestlé, FNLIJ, Biblioteca Nacional, Adolfo Aizen, Concurso Nacional de Histórias Infantis do Paraná.
 Tem mais de 20 livros de literatura infantil e juvenil traduzidos para o inglês e o espanhol.
​Escreveu 3 peças de teatro infantil, entre elas o musical. 
É professor universitário desde 1997, na PUC-Minas (pós-graduação) e no UniBH, onde também coordena o Laboratório de Jornalismo Impresso, desde 2011, e edita o Jornal Laboratório Impressão.
 Tem uma coluna sobre literatura infantil na revista "Canguru", desde outubro de  2015.
Ricardo Benevides - nasceu no Rio de Janeiro. Formou-se na Faculdade de Comunicação Social da Uerj, em 1996, e concluiu o Mestrado em Literatura Brasileira pela mesma instituição, em 2004. Trabalhou como editor de Literatura na Ediouro e como editor de texto na Editora Paz e Terra. Em 2000, lançou seu primeiro livro para o público infantil, “Fabíola foi ao vento, pelo qual recebeu o Prêmio de Autor Revelação da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Atualmente trabalha como professor dos cursos de Comunicação Social das universidades Estácio de Sá e Gama Filho e das Faculdades Integradas Hélio Alonso. Nas horas vagas, joga futebol e toca guitarra num grupo de rock.

Serviço:
Era uma vez um reino sonolento
Autor: Leo Cunha e Ricardo Benevides
Local: Theatro Pedro II
Data - 06 de outubro (sábado)
Horário: 17 horas 
Fotos de divulgação: Ernest Junior
Valor : Inteira R$ 30,00   Meia R$ 15,00  Antecipada na bilheteria do Teatro R$ 10,00


Leia Também