O cinema está morrendo! 

 

Letreiro que antes da pandemia informava os filmes em cartaz, agora faz clamor por decreto de abertura das salas de cinema de Petrópolis

 

Os cinemas de Petrópolis estão fechados desde o sábado 14 de março e vem seguindo os decretos da Prefeitura Municipal de Petrópolis de não abrir as portas, mas, após quase 08 meses sem sessões e com a abertura de quase 2.000 salas de cinema em todo o Brasil, uma das redes de cinema da cidade, usou o letreiro localizado no Centro Histórico da cidade, para fazer clamor público.

 

A reabertura dos cinemas é um dos muitos assuntos que estão em voga no momento na cidade de Petrópolis, mas é importante que todos saibam que a primeira sala a ser reaberta no Brasil, foi na cidade de Manaus, no Amazonas, ainda em agosto desse ano.

 

“Nossa atividade já está parada há quase 08 meses. Chegamos num momento em que a nossa atuação está em risco de não voltar mais. Praticamente todos os setores comerciais já voltaram, menos os culturais, como o nosso. Seguimos protocolos rígidos que garantem a segurança dos nossos clientes. Chega a ser mais seguro ir ao cinema do que ir ao supermercado. Sendo assim, não existe razão lógica para esperar mais”, pontua Gilberto Leal, presidente do Sindicato das Empresas Exibidoras de Cinema do Estado do Rio de Janeiro.

 

Não há registros de um processo de união tão organizado no setor da sétima arte. Pela primeira vez no mercado brasileiro, exibidores, distribuidores, produtores, criativos e parceiros da indústria estão envolvidos em um projeto único com o intuito de preparar e implementar a retomada do cinema no Brasil, num movimento chamado #JuntosPeloCinema. A ação que está em pleno funcionamento desde julho é inédita e respeita a individualidade de cada empresa, mantendo também a livre concorrência, mas mesmo assim buscou ações para manter acesa a magia do cinema. Colaborando desde o final de março, o grupo de profissionais voluntários envolvidos no projeto teve como meta retomar o diálogo entre a experiência da sala de cinema e o público, desde julho até o momento da reabertura das salas pelas autoridades, o que já está ocorrendo em diversos lugares, respeitando os protocolos aplicáveis de segurança e bem-estar já determinados ou em elaboração pelos governos locais.

 

A ideia do #JuntosPeloCinema nasceu dos profissionais que atuam no meio audiovisual visando auxiliar o segmento de mercado de exibição no Brasil a reencontrar seu público. As ações concretas foram mediadas pela Flix Media, empresa especializada em comercialização de espaços publicitários no cinema. Conforme o time da Flix comunicava a ideia da campanha #JuntosPeloCinema, diferentes profissionais e mais players aderiam ao projeto. A ideia sempre foi saltar aos olhos de todos o que é o cinema e relembrar a experiência incomparável da exibição nas salas de cinema. Esse esforço coletivo e pro bono de mais de 200 profissionais do mercado em prol do cinema é fundado no propósito de oferecer um ambiente de segurança e bem-estar para o público e de preservar milhares de empregos ligados à indústria cinematográfica, do set de filmagem à sala de exibição.

 

A campanha foi e está sendo um sucesso, pois contou com a parceiros que abriram espaço para a divulgação dos materiais, tais como: AdoroCinema, Adsmovil, AXN, Buzzfeed, Canal Brasil, Canal Like, Cineclick, Cinepop, Elemídia, Eletromídia, Facebook, Flix Media, Folha de S.Paulo, FSign, Gameloft, Globo através da Globo Filmes, Google, Ingresso.com, JCDecaux, Megapix, MPV7, O Globo, Omelete, OTIMA, Portal Hugo Gloss, Preshow, PrimePass, Rádio JB FM, Rádio Metropolitana, Rede Mix de Rádio, RedeTV!, SBT, Seedtag, Sony Channel, Spotify, Tastemade, Telecine, TV BANDEIRANTES, UOL, Veja Rio, Veja São Paulo, Velox Tickets, Viacom/CBS, Waze, Webedia. Apoio Institucional: Academia Brasileira de Cinema, Ancine, Ministério do Turismo e RioFilme.

 

Contudo, o tempo foi passando e em Petrópolis, por mais que houvesse incontáveis tentativas de alinhar uma data de reabertura das salas, isso ainda não ocorreu e parece que não está sendo entendido como importante para a Prefeitura Municipal de Petrópolis, que parece desconhecer ou ignorar a quantidade de trabalhadores envolvidos e a atividade propriamente dita.

 

Na cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, os cinemas reabriram na quinta-feira, dia no dia 1º de outubro, e não existiu até o presente momento sequer uma notificação de descumprimento das regras seja por parte do público ou das empresas.

 

“Os complexos de cinema foram reabertos na capital no dia 01 de outubro, respeitando os protocolos de segurança determinados pelas autoridades de saúde, incluindo redução de 50% dos ingressos postos à venda, oferta de álcool gel, entre outros. Os protocolos de segurança usados na cidade Rio de Janeiro, podem ser usados como base para um decreto de reabertura em Petrópolis”, ressaltou Gilberto Leal.

 

Os protocolos de segurança são:

- Álcool gel disponível em diversos pontos de acesso do cinema;

- Consumo de alimentos liberado somente dentro da sala, com o espectador sentado em seu lugar pré-marcado;

- Ocupação máxima reduzida a 50%;

- Distanciamento social dentro da sala garantido de 1,5 metro;

- Fluxo de saída ao final da sessão fila a fila e orientado por funcionário do cinema;

- ATM’s e bilheterias operando com distanciamento entre si;

- Fechamento de bebedouros públicos;

- Alternância de uso de pias em banheiros;

- Funcionário na porta do banheiro para garantir ocupação máxima;

- Marcação com adesivos no chão para filas para garantir o distanciamento social;

- Medição de temperatura dos funcionários e dos espectadores ou na porta do shopping ou na porta do cinema, quando o cinema for na rua;

- Uso de máscara e EPI pelos funcionários;

- Aumento do espaço de tempo dos intervalos entre as sessões;

- Higienização completa das salas com produtos específicos e adequados.

 

De acordo com Gilberto Leal, incontáveis contatos com a Prefeitura Municipal de Petrópolis vêm sendo realizados diariamente, mas todos eles sem respostas oficiais ou com respostas evasivas, que jamais chegam a uma conclusão fatídica que culmine na fixação de uma data para a reabertura das salas de cinema da cidade. “Estamos a mais de três meses mantendo contato com a Prefeitura, na sexta-feira, dia 16 de outubro, tivemos uma reunião presencial e a partir daí não conseguimos mais contato ou posicionamento sobre a abertura. Já enviamos a lista com os protocolos de segurança usados noutras praças e informações importantes que demonstram o respeito e segurança aos funcionários e clientes, mas, mesmo assim, não recebemos um parecer formal”, enfatiza Gilberto.

 

Além das questões de ordem prática, ou seja, a sobrevivência ou não das unidades cinematográficas da cidade, Gilberto pontua que cidades vizinhas já veicularam ou estão veiculando lançamentos como: “Scooby! O Filme”, “Os Novos Mutantes” e “Tenet”.

 

“As empresas petropolitanas precisam pagar as suas contas. Estamos preparados para funcionar, assim como os cinemas das cidades vizinhas. Fico assustado em saber que o espectador de Petrópolis precisa pegar o carro e ir ao cinema em Duque de Caxias ou na Barra da Tijuca, assistir um filme e então voltar para a cidade. Não estou criando uma situação hipotética, estou falando a mais pura verdade. A Prefeitura de Petrópolis precisa entender que temos segurança e protocolos para trabalhar e que, além disso, se o cinema aqui em Petrópolis é perigoso e não pode funcionar, o cinema em Caxias e Barra, em via de regra, também são perigosos, mas os petropolitanos estão saindo da cidade para assistirem filme lá”, ressaltou indignado Gilberto Leal.

 

Por fim, o presidente do Sindicato das Empresas Exibidoras de Cinema do Estado do Rio de Janeiro, enfatizou que a cada dia mais e mais cinemas voltam a operar e demonstram a forma correta de atender com segurança os clientes.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis