A região de Secretário virou palco de uma websérie ambientada no Natal e que conta a história do casal Lia e Thalita, que querem resgatar o relacionamento. São quatro episódios, que já estão no ar (pelo canal no youtube) e que trazem as delícias do chef de cozinha Dan Mattos, do Le Coq Bistrô, em uma participação especial.


“Poucos sabem, mas minha formação foi nas artes. O meu lado criativo e questionador eu trouxe do tempo que passei no teatro e na fotografia. Então participar da websérie foi reviver uma paixão que estava adormecida é o mesmo frio na barriga de quando pisei no palco do teatro pela primeira vez”, disse o chef de cozinha.


A websérie é uma produção da Linha Produções com direção e roteiro de Thaiane Soares. No elenco estão Gil Abreu e Angélica Morango (ex-bbb). A história se passa na época do Natal, momento em que Lia acredita ser o ideal para a reconciliação.


Para o chef de cozinha a participação na websérie é uma forma de divulgar Petrópolis e, principalmente, a região de Secretário. “A internet hoje tem um poder de atingir pessoas em toda parte do país e até do mundo. Quem sabe um dia nossa cidade se transforme em uma Petrowoods, pois potencial nós temos”, ressaltou Dan Mattos.


O chef acrescenta que é preciso mais incentivos e criar mecanismos para que as empresas se interessem por Petrópolis. “Nossa cidade foi e vem sendo cenário de novelas, filmes e séries.

 

No entanto, nos falta reconhecer esse potencial. Petrópolis tem locações incríveis e para isso precisamos investir e criar incentivos para que as empresas de audiovisual, tanto da nossa cidade quanto de outras, venham desenvolver projetos em nossa região”, pontuou o chef.

 

Sobre o chef

Dan Mattos, que já recebeu um prêmio nacional concedido pelo Ministério do Turismo com o projeto da Rota Turística de Secretário, acredita que o incentivo à cultura, assim como ao turismo, também gera emprego e renda para a cidade. “Precisamos trabalhar e entender a cultura como uma economia. Nossa cidade pode e deve investir nas artes, no teatro, no audiovisual. Precisamos fomentar a cultura não apenas como lazer, mas como um negócio, uma indústria com grande poder de geração de recursos. Se trabalharmos para que Petrópolis se torne um pólo produtor de cinema, todos os outros setores da nossa cidade irão lucrar e ainda teremos um novo setor que poderá gerar empregos diretos e indiretos. Sem contar a divulgação da cidade no país inteiro fortalecendo nosso turismo e a nossa economia”, concluiu o chef.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem