A partir de março

 

Deputados querem garantia de verbas para a operação

 

A bancada de deputados federais do Estado do Rio no Congresso está se mobilizando para destinar emenda para garantir que o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT), que vai gerir a BR-040, tenha recursos para operar com ambulâncias, reboque, equipe e demais necessidades para socorro e assistência aos motoristas. O DNIT vai assumir a estrada no dia 1º de março com o fim do contrato da Concer, empresa que opera a via há 25 anos.  Com o final da concessão dia 28 de fevereiro, o pedágio deixará de ser cobrado.  A previsão é de que o processo licitatório de uma nova concessionária seja finalizado em 2022.

 

“É grande a apreensão das cidades e dos usuários sobre a manutenção e operação da via, por isso a iniciativa de garantir os recursos”, diz o deputado federal Vinicius Farah. O valor da emenda de bancada – que compreende 46 deputados fluminenses– está sendo definida e pode chegar a R$ 50 milhões.

 

 “A meta é que seja uma emenda que possibilite que o Dnit tenha condições de oferecer um serviço apropriado, considerando 12 meses até que uma nova concessão esteja concluída”, afirma Vinicius Farah apontando que a iniciativa é uma construção envolvendo todos os parlamentares sensíveis à importância da estrada para o Estado.  Todos os deputados estão sendo mobilizados para garantir de suas parcelas valores que, somados, alcancem o montante.


 “A BR-040 é fundamental não apenas para Petrópolis, mas para toda a cadeia econômica do Rio a Juiz de Fora, passando por todas as cidades que dependem desse acesso.  Por isso, a mobilização de toda a bancada. A indústria, comércio, prestadores de serviço são áreas que necessitam da BR-040 nos 180 quilômetros de via até Juiz de Fora,  fundamental ainda para o turismo”, afirma Vinicius Farah.

 

De acordo com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), entre 2013 a 2021, os prejuízos financeiros decorrentes da falta de melhorias na rodovia, incluída aí a nova pista de subida da serra,  serão de R$ 1,6 bilhão.

 

O parlamentar lembra que os municípios de todo o trecho até Juiz de Fora como Três Rios, Areal, São José do Vale do Rio Preto e Levy Gasparian dependem economicamente da estrada. “É preciso garantir uma boa operação neste momento, que a licitação para nova empresa seja ágil e que a concessionária que vencer esteja comprometida em manutenção das pistas atuais e com a nova subida da serra”, afirma Vinícius Farah lembrando dos prejuízos e impactos por toda a extensão da estrada. “Engarrafamentos por acidentes que ocorrem na subida da serra têm impacto nas outras cidades, por exemplo. É maior gasto de combustível, atraso em entregas, toda uma logística prejudicada, encarecendo preços finais aos consumidores. Para Petrópolis, o prejuízo é ainda maior com o Turismo sendo duramente atingido”.

(Edição: 29/01/2021)

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis