O Solstício do Som, iniciativa multicultural que caminha para a sua 22ª edição neste ano, tem muito a comemorar em março. No último dia 22, um de seus idealizadores, o produtor cultural João Felipe Verleun, esteve na sede do Instituto Municipal de Cultura (IMC), para receber das mãos do diretor-presidente do mesmo, Leandro Kronemberger, a estatueta referente ao Prêmio Cultural Maestro Guerra-Peixe, edição referente a 2020, onde, devido à pandemia, os premiados foram artistas, eventos ou iniciativas que tivessem mais de 10 anos de trajetória de sucesso.

 

O segundo motivo de é que, no mesmo dia, em reunião entre as partes, o Instituto Municipal de Cultura, através de seu diretor-presidente, assumiu o compromisso de fornecer apoio à realização da 22ª edição, que será totalmente on-line, mas com centenas de participantes não somente do Brasil, mas de brasileiros e estrangeiros que reverberam com o espírito do festival.

 

“A Cultura é um dos caminhos mais ricos para as discussões sociais e Petrópolis vem mostrando, principalmente neste momento de enorme dificuldade para o artista, o quanto a cena cultural é criativa, capacitada, talentosa e merecedora de todo o respeito pelo Poder Público. Quero parabenizar o Solstício do Som pela notoriedade do Prêmio Guerra-Peixe, mas ainda mais, pelo coletivo estar na 22ª edição, mostrando maturidade, profissionalismo e amor pela arte”, completa o prefeito interino Hingo Hammes.

 

O Solstício do Som, iniciativa reconhecidamente democrática e agregadora, possui uma trajetória de sucesso e reverbera gratidão por todos que dele já participaram em muitas de suas edições. "Logo após sermos agraciados com o segundo troféu do Prêmio Guerra Peixe, o reconhecimento da atual gestão do IMC ao Solstício do Som, que completou 10 anos, visa contemplar dezenas de artistas, profissionais e fãs da cultura original petropolitana. O principal diferencial do Solstício em relação aos demais eventos on-line é que ele é essencialmente ao vivo, o que traz uma atmosfera especial pra quem produz e pra quem acompanha. Ter o apoio da Prefeitura de Petrópolis é uma enorme responsabilidade e estamos prontos para o desafio de entregar uma edição memorável", afirmou João Felipe Verleun.

 

O evento ainda traz duas eternas homenagens, uma com a Galeria Michael Lennertz de artes visuais, com apoio do Coletivo Avanda, e com o palco virtual Bira Rasta, artistas que se foram, mas, em vida, foram totalmente presentes na história da festa.

 

“Apoiar um projeto como o Solstício do Som vai totalmente de encontro ao que acreditamos à frente do Instituto Municipal de Cultura, que é investir no fomento e na acessibilidade cultural, criando espaços de expansão das fronteiras culturais”, explica Berg, diretor-presidente do IMC.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem