Começou no último dia 12, a campanha nacional de vacinação contra a gripe, que deve se estender até o dia 09 de julho. Este ano a campanha ganha ainda mais relevância para evitar a sobrecarga nos sistemas de saúde em decorrência de complicações do vírus da Influenza. A imunização é dividida em três etapas e o Ministério da Saúde estima que 79,7 milhões de pessoas recebam a dose.

 

Para a professora de Biomedicina e Enfermagem da Estácio, Josei Motta, é fundamental esclarecer a campanha de vacinação contra a gripe, que acontece paralelamente à imunização contra a Covid-19, a fim de tranquilizar a população e reforçar a importância de ambas.  

 

Para quem tomou a primeira dose da vacina da Covid-19, a docente explica que é necessário completar o esquema vacinal e, somente após um intervalo de 14 dias, tomar a vacina contra a gripe.

 

“Considerando a ausência de estudos de coadministração para a vacinação contra a Influenza e a Covid-19, recomenda-se esse intervalo. O mesmo vale para quem tomará primeiro a vacina da gripe: deve-se aguardar um intervalo mínimo de 14 dias para tomar o imunizante contra o novo coronavírus”, orienta.

 

Segundo a enfermeira, se for a vez do indivíduo tomar a vacina do coronavírus é fundamental priorizá-la e após o intervalo de duas semanas tomar a vacina da gripe. “Vale lembrar que no caso de quem contraiu a Covid, a evolução clínica pode ocorrer até duas semanas após a infecção; idealmente a vacinação deve ser adiada até a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas (Ministério da Saúde, 2021)”, descreve a professora da Estácio. 

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem