A edição da Mostra EMI Áudio e Vídeo de 2020 poderá ser revista neste mês de maio, e desta vez com novas participações. Realizada presencial e anualmente no mês de julho, por conta das medidas restritivas de isolamento social em função da pandemia do coronavírus, o evento precisou ser adiado e aconteceu em dezembro de 2020. E agora, como foi contemplada no edital de seleção de projetos artísticos e culturais 01/2020 financiado pelo Fundo Municipal de Cultura de Petrópolis, a MOSTRA EMI ganha nova versão nos dias 12, 13 e 20 de maio de 2021, e poderá ser acompanhada pelo canal YouTube EMI Áudio e Vídeo Petrópolis (as informações sobre o evento e formas de acesso ao conteúdo que será exibido também serão disponibilizadas nas redes sociais do EMI-AV, no Instagram (@emi.av.pet) e no Facebook (/emipav.pet). 



O intuito da Mostra é dar visibilidade aos filmes produzidos pelos adolescentes do EMI-AV, uma forma de compartilharem suas experiências como produtores de conteúdo audiovisual, discutir temas relevantes para a sociedade e a cidadania, e fomentar a formação de plateias críticas para o cinema, a tv e a publicidade. Uma oportunidade também para esses jovens talentos mostrarem sua produção para os familiares, amigos e possíveis empregadores e, nesta edição on-line, até atingir outros públicos e regiões, incentivando assim um intercâmbio cultural e de ideias através de sons e imagens.



A programação foi dividida em três dias: nos dois primeiros dias 12 e 13 de maio, a partir das 14h, serão apresentados quatro blocos de filmes, intercalados por duas oficinas, e seguidos por debates com os jovens realizadores, professores do curso e o público em geral para a troca de impressões e experiências. Além disso, um filme do CIEP Cecília Meirelles, realizado por alunos do curso técnico em Empreendedorismo sobre a pandemia, também compõe a programação.


No último, 20 de maio, aproveitando as temáticas apresentadas nos filmes realizados pelos adolescentes, será realizada a quarta edição do Fórum de Cinema e Educação, com a temática “Produção juvenil em escolas, ongs e coletivos durante a pandemia”, a partir das 15h. Para quem quiser participar ao vivo do Fórum, basta se inscrever pelo formulário: cutt.ly/Rkgyrq2 (também disponível na bio do Instagram – @forum.cinema.educacao). Na véspera do evento será enviado um link para o Zoom. Vale lembrar que todas as sessões da Mostra EMI serão transmitidas também pelo YouTube (EMI Áudio e Vídeo Petrópolis).


De acordo com a professora Elaine Mayworm, coordenadora da Mostra, o evento reflete o que foi o ano letivo de 2020 para alunos e professores do curso.

 

“O distanciamento social e as medidas sanitárias de segurança fizeram com que toda a produção fosse feita das nossas casas, com os recursos de que cada um dos nossos jovens dispunha, especialmente o celular. Por isso, ao invés de produções robustas, com equipes maiores, sets de filmagens e equipamento profissional como estávamos acostumados, os filmes desta edição em sua grande maioria são individuais, mais reflexivos e introspectivos. No entanto, isso não limitou a abrangência dos gêneros cinematográficos: de experimentais a documentais, passando por dramas, comédias e até propostas influenciadas pelas mídias e redes sociais”, detalhou.


E ela continua: “O grande destaque foi como cada menino e cada menina aplicou sua criatividade nas produções, explorando as técnicas e os recursos apreendidos e desenvolvidos durante as aulas à distância. Esse novo modo de ensino-aprendizagem, via telas, no qual fomos abruptamente mergulhados em 2020, com certeza nos fez aprender muito mais sobre tecnologias e o mundo digital e, de alguma maneira, isto também está refletido nos filmes deste ano”.



A Mostra é realizada pelo Ensino Médio Integrado à Educação Profissional em Produção Audiovisual do Colégio Estadual Dom Pedro II, que funciona desde 2008 em Petrópolis, atendendo a cerca de 150 alunos durante o ano letivo, em horário integral. A proposta do curso é unir as disciplinas do ensino médio regular às disciplinas de formação técnica, como Roteiro, Artes, Comunicação Crítica, Oficina de Captação de Áudio e Vídeo e Edição.

 

Os alunos formados ao final dos três anos recebem um diploma que os referencia para o mercado de trabalho como assistentes técnicos em apoio a funções como editor, roteirista, produtor cultural, operador de equipamentos de áudio e vídeo e iluminação cenográfica, por exemplo.

 

Com toda a grade de matérias do ensino médio e carga horária ampliada, os estudantes ainda se tornam mais aptos a concorrer a vagas em universidades em diversos cursos, não apenas aqueles da área de Comunicação e Humanidades, através do ENEM e outras formas de ingresso no nível superior.

 

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem