Governo municipal mostrou que estimativas populacionais por grupos, utilizadas para definição de quantidades de doses enviadas, estão subdimensionadas

 

A prefeitura de Petrópolis está cobrando do Estado um reajuste na quantidade de doses da vacina contra covid-19 enviadas ao município. A revisão vai garantir aumento no número de vacinas que vêm sendo enviadas ao município. O pedido foi motivado pela verificação de que o envio de doses pelos governos federal e estadual leva em conta estimativas populacionais, por grupos a serem vacinados, subdimensionadas. Significa que o número de doses necessárias para vacinar grupos previstos no Plano Nacional de Imunização é maior do que o que tem sido liberado para o município. Atualmente Petrópolis tem 109.320 pessoas que receberam a primeira dose da vacina - 40.560 delas já concluíram o esquema de imunização com a segunda dose. Neste momento o município está vacinando pessoas com mais de 55 anos sem comorbidades e depende do envio de novos lotes destinados à primeira aplicação para ampliar a vacinação para outras faixas etárias.

 

A reivindicação de ajuste no percentual de doses da vacina foi apresentada pelo secretário de Saúde do Município, Aloisio Barbosa da Silva Filho, em reunião por videoconferência com o superintendente de Vigilância em Saúde do Estado, Mário Sérgio Ribeiro, com a participação da procuradora da República Vanessa Seguezzi e da procuradora de Justiça, Vanessa Katz.

“É uma ação importante da Secretaria, pois dependemos da chegada de lotes maiores de vacinas para que seja possível imunizarmos mais rapidamente os petropolitanos”, destaca o prefeito interino Hingo Hammes.

 

Entenda

A cobrança de Petrópolis foi motivada pela necessidade de remessas maiores da vacina para ampliação da campanha e a constatação de que a quantidade de doses tem sido menor do que a necessária para atender todo o público previsto nos grupos. Na prática, o público de alguns grupos vacinados vem sendo maior do que o número estimado pelo Ministério da Saúde, que é utilizado como parâmetro pelo Estado para o envio de vacinas. Exemplo disso é o grupo de profissionais de Saúde – grupo que teve até o momento 16.230 pessoas vacinadas e que, de acordo com o Ministério da Saúde, tinha público estimado em 13.082. O déficit na estimativa do Ministério é verificado também em outros grupos, como idosos institucionalizados e pacientes crônicos institucionalizados.

 

“Apresentamos esta demanda junto ao representante do Estado durante a reunião. De pronto, o Mário Sérgio sinalizou que já está fazendo uma readequação. A divisão de Imunização está fazendo o levantamento dos grupos vacinados e percentual em relação o público estimado pelo Ministério e iremos formalizar o pedido por meio de um ofício, que será encaminhado ainda hoje”, explica o secretário de Saúde Aloisio Barbosa da Silva Filho, destacando que o ajuste nos percentuais irá contribuir para o avanço na vacinação.

 

“Temos buscado todos os meios para que a cidade receba lotes maiores de vacinas contra a covid-19, pois a vacinação é o único caminho para controle da pandemia. Hoje a Vigilância em Saúde da Secretaria tem toda estrutura para avançar com a vacinação, dependendo somente do envio de lotes maiores para que mais petropolitanos possam ser imunizados”, afirma.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem