Entenda como administrar suas contas para evitar juros impagáveis


O atual período de pandemia desencadeou uma série de desempregos e aumentou, consideravelmente, o número de pessoas endividadas no país. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor fez uma projeção de consumidores que possuem mais contas do que condições reais de quitar as dívidas. Os dados estimam que mais de 30 milhões de brasileiros se encontram nessa situação.

 

Para chegar à conclusão, o levantamento utilizou dados da pesquisa mensal da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), do índice de negativação junto às empresas e plataformas de proteção ao crédito e da medição do risco de inadimplência feita pelo Banco Central.

 

“Ninguém esperava por um cenário como este de pandemia. O ideal é que o consumidor possa aliviar suas dívidas pegando um empréstimo para quitar os boletos em atraso. Essa é uma forma de legalizar os pagamentos, trocando várias dívidas por apenas uma, com a possiblidade de estender os prazos e evitar que as contas virem uma bola de neve, com juros impagáveis”, explica o economista Afonso Amarante. 

 

Para conseguir equilibrar as contas e ter saúde financeira, é preciso que a pessoa faça um levantamento de todas as despesas, sempre das que têm valores maiores para os menores, verificando as datas de vencimento e as taxas de juros. Assim, será possível fazer um planejamento adequado para quitar os débitos.

 

“Muitas pessoas não têm ideia do quanto realmente gastam. O primeiro passo para a saúde financeira é ter os números reais do orçamento em mãos e verificar qual a capacidade de pagamento. Lembrando que todas as despesas essenciais, como alimentação, energia, água e gás, devem ser priorizadas. Caso a pessoa não tenha condições de arcar com as dívidas de banco ou com a operadora de cartão de crédito, é preciso pensar em saídas estratégicas, como a possibilidade de pegar um empréstimo ou fazer uma portabilidade, transferindo a dívida para outra instituição, com taxas de juros mais atrativas", finaliza o administrador Lucas Susini, diretor da BR WORLD, empresa especialista em Crédito Consignado e Crédito Pessoal. 

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem