Oftalmo Clinica de Petrópolis / Foto: Vitor Mattos



SARS-Cov² pode causar complicações irreversíveis a saúde dos olhos

 

Com mais de 21 milhões de casos de Covid-19 e mais de 588 mil mortes no Brasil, descobertas sobre efeitos causados pela doença continuam chegando a todo momento. No campo visual, estudos revelam que o novo coronavírus pode causar problemas graves aos olhos, como lesões vasculares e comprometer a retina de forma irreversível, chegando à perda de visão. Pesquisas realizadas internacionalmente, já revelaram que o vírus pode trazer sintomas como a conjuntivite, que é eventual e autolimitada.  Por este motivo, os especialistas afirmam que é importante o paciente procurar os médicos para realizar um check-up oftalmológico.

 

“Foi publicado recentemente um estudo da UFRJ e da Unifesp comprovando a presença do SARS-CoV² na retina humana. Não se sabe ainda quais as consequências de longo prazo que eventualmente isso possa acarretar. Mas no momento o que se observa é que o quadro hiper inflamatório e de hipercoagulabilidade visto em alguns pacientes com Covid-19, pode predispor a lesões vasculares retinianas e cerebrais com potencial risco para a visão, principalmente em casos graves da doença”, explica a Oftalmologista responsável pela Oftalmo Clinica de Petrópolis e especialista em Infecções pela Fiocruz, Drª Ana Luísa Aleixo.

 

Em casos extremos, um problema gravíssimo que pode ocorrer, devido a tratamentos usados no enfrentamento à Covid-19, como o uso de corticosteroides, é o fungo negro que pode até mesmo levar a remoção do globo ocular para evitar que a doença se alastre. “O fungo negro ou mucomicose é uma infecção fúngica extremamente grave e ameaçadora, não só ao globo ocular, mas também à vida do paciente. Nesse momento a prioridade passa a ser a da preservação da vida. O diagnóstico é geralmente feito pelo intensivista pois geralmente esses pacientes estão muito graves. Felizmente essa grave condição é rara”, sinaliza a médica oftalmologista.

 

Muitos pacientes deixaram de fazer suas consultas de rotina por causa da pandemia e isso pode ter consequências sérias para a saúde ocular da população. De acordo com a Drª Ana Luísa, o check-up oftalmológico é realizado para que qualquer alteração que ameace a visão, possa ser diagnosticada e tratada precocemente. “Patologias como o glaucoma, a retinopatia hipertensiva e diabética, podem chegar de forma despretensiosa e levar a perda visual. O check-up oftalmológico deve ser realizado anualmente mesmo que não haja sintomas oculares. Às vezes doenças graves se iniciam com sintomas muito leves, que se não houver intervenção podem ter graves consequências. Outras condições são até mesmo assintomáticas, por isso é tão importante o check-up periódico”, detalha Ana Luísa.

 

Em agosto deste ano, o periódico mensal JAMA Network Open publicou um estudo que revelou que um paciente dos Estados Unidos com 70 anos, diagnosticado com Covid-19, retornou ao hospital três semanas depois, com dores de cabeça e visão desfocada no olho direito. De acordo com a pesquisa, o problema aconteceu porque a infecção pela COVID-19 pode ter desencadeado o agravamento da resposta de IgG4 no sangue, que é mediada pelas células T positivas para a molécula CD4, que, por sua vez, são tóxicas.

 

Então, segundo o estudo, o sistema imune do paciente teve sua citotoxicidade exacerbada pelas células T, o que sugere uma ligação entre as duas doenças. Tudo isso, portanto, resultou em uma rinossinusite bacteriana aguda, cuja pressão intra sinusal causou uma erosão do osso do assoalho de órbita do paciente e afetou seu olho.

 

De acordo com a especialista, a pandemia também trouxe consequências severas, como a interrupção de tratamentos de doenças crônicas como o diabetes. Este tipo de paciente deve procurar acompanhamento frequente com os médicos oftalmologistas, já que a doença oferece risco de perda de visão.

 

“De forma geral, recomendamos que toda pessoa procure pelo menos uma vez por ano um oftalmologista. No caso dos diabéticos, eles precisam ter além do controle rigoroso da glicemia, hipertensão arterial e do colesterol, um diálogo frequente com o médico que cuida dos seus olhos, é muito necessário. É ele quem avalia as condições em que se encontram a saúde dos olhos deste paciente, podendo recomendar tratamentos como laser, injeções intra-oculares e cirurgia em alguns casos de retinopatia diabética”, ressalta a oftalmologista.

 

Os exames de Check-up oftalmológico verificam não somente a visão, mas também a retina e a pressão ocular, que são avaliadas e permitem um diagnóstico precoce de condições que podem ameaçar a visão do paciente e gerar complicações futuras.

 

 


Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem