Número é 335% maior que o de visitas realizadas em 2019

 

Os agentes de combate a endemias da Secretaria de Saúde de Petrópolis atingiram uma marca importante no fechamento dos trabalhos do mês de setembro: mais de 450 mil visitas a domicílio foram realizadas em 2021 pelos profissionais. Eles atuam no combate e prevenção ao mosquito aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chykungunia. Por mês, são feitas cerca de 45 mil visitas periódicas em domicílio. Todos os agentes estão vacinados com as duas doses contra Covid-19.

 

“O número expressivo é resultado do aumento no número de agentes. Em relação ao ano passado, quando eram 50 agentes de endemia, a prefeitura quase triplicou esse número, contando hoje com 139 trabalhadores. Eles são distribuídos por nove regiões da cidade, com foco em áreas urbanas. Independente da estação do ano, o trabalho de combate aos vetores e de orientação à população é desenvolvido continuamente por meio de visitas domiciliares, com acompanhamento periódico a cada dois meses por residência”, explica o prefeito Hingo Hammes.

 

De acordo com o último Levantamento de Índice Rápido ao Aedes Aegypti (LIRA), Petrópolis tem atualmente o menor índice de risco de infestação de Aedes Aegypti dos últimos quatro anos. A pesquisa realizada entre os dias 02 e 06 de agosto, classifica a cidade para as doenças transmitidas pelo mosquito como dengue, chikungunya e zika. Com 0,10%, a cidade está classificada com baixo risco de infecção predial.

 

O secretário de Saúde, Aloisio Barbosa Filho, ressalta que esse é um trabalho contínuo. “Estamos em outubro e já passamos a marca de 450 mil visitas realizadas pelos agentes. O número é quase três vezes maior que o de 2020, em que foram feitas 163.615 visitas e 335% maior que o de vistorias realizadas em 2019, quando foram feitas 134.209. Esse é um trabalho contínuo dos agentes, que estão diariamente nas comunidades e são os braço da Secretaria de Saúde dentro da casa das pessoas”.

 

As tarefas executadas pelo agente de combate a endemias envolvem vistorias de domicílios, com transmissão de informações sobre os cuidados necessários para garantir a não proliferação do vetor, destruição de criadouros e aplicação de larvicidas quando necessário.

 

Os agentes são ligados à Coordenadoria de Vigilância Ambiental do Departamento de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Saúde. A coordenadora, Alessandra Cardoso, diz que a reorganização dos agentes foi determinante para o resultado: “Os moradores dos bairros reconhecem os agentes e sabem da necessidade dos cuidados e orientações. As visitas rotineiras são muito importantes”.

 

O agente de combate a endemia tem uniforme próprio, com colete e acessórios de identificação. Caso o morador tenha dúvida se a pessoa que está em sua porta é um agente, pode entrar em contato com a coordenadoria para fazer a verificação pelo telefone: (24) 2231-0841. Denúncias de caixa d'água sem a tampa e água acumulada em residência, também podem ser feitas nesse número.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem