PUBLICIDADE


 

 

Oncologista Daniel Przybysz


PETRÓPOLIS - O mês de maio é período de chamar a atenção para o câncer do Sistema Nervoso Central (SNC), formado pelo cérebro e medula espinhal. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), 1,4% a 1,8% dos tumores malignos rastreados afetam o SNC e desse total, 88% são identificados no cérebro. Em Petrópolis, a Rádio Serra Centro Regional de Radioterapia, a média de atendimentos a pacientes com esse tipo de câncer em 2023, foi de aproximadamente 2 ao mês. De acordo com o mais recente estudo do INCA, no Brasil, 11.490 pessoas recebem o diagnóstico e a maior parte dos casos (53,2%) afeta os homens.

 

A mais recente amostragem do INCA (2022) identificou 6.110 casos em homens e 5.380 em mulheres. Em 2021 a mortalidade por esse tipo de câncer foi de 9.684, sendo 4.996 homens e 4.686 mulheres. “Esse é um tipo de câncer para o qual ainda não existem indicativos para a prevenção. Se trata de uma doença multifatorial o que reforça a necessidade de se manter a rotina de acompanhamento médico, o que contribui para a identificação de sinais que podem apontar para o diagnóstico”, enfatizou o médico rádio-oncologista, Daniel Przybysz.

 

Tendo em vista a não definição de medidas preventivas para esse tipo de câncer, o especialista reforça a atenção para os sintomas comuns que podem indicar a atenção para um possível diagnóstico. Entre os fatores que podem chamar a atenção estão: dor de cabeça, quando passam a ocorrer de forma repentina, ou intensa, constante e localizada sempre em um ponto específico; crises de epilepsia ou convulsivas em pacientes que nunca tiveram esse tipo de ocorrência; perdas de funções neurológicas como déficits focais, perda de força ou do tato nos membros, de visão ou audição, alterações na fala; perda na capacidade de compreensão, raciocínio, escrita, cálculo, reconhecimento de pessoas; ou mudanças de comportamento como agitação e aumento de agressividade ou apatia.

 

“É cada vez mais necessário que as pessoas estejam atentas para o surgimento de sintomas e comportamentos fora do comum que podem ajudar no diagnóstico precoce, fator de maior relevância para o tratamento de qualquer tipo de câncer”, reforçou Daniel Przybysz.

 

Além de fatores hereditários, que são o ponto de atenção, de acordo com as análises apontadas pelo INCA, o câncer no Sistema Nervoso Central pode ser causado por uma série de alterações genéticas, adquiridas ao longo da vida, seja por predisposição ou exposição.  Entre outros fatores que também aumentam os riscos são, exposição à radiação, deficiência do sistema imunológico.  A identificação em estágio inicial contribui para a eficácia no tratamento e possibilidade de cura. A atenção ao surgimento dos sintomas indicativos para o câncer do SNC é a principal medida para o início de uma investigação específica.

 

Através dos canais de comunicação com a Rádio Serra, Centro Regional de Radioterapia no Instagram há mais informações sobre cuidados com a saúde e contato para acesso aos especialistas, que podem melhor orientar sobre os cuidados necessários para a saúde.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem

PUBLICIDADE

 


PUBLICIDADE