No Kinpai Sushi, os peixes são frescos e derretem na boca. (Divulgação)

A comida japonesa está muito presente na vida dos brasileiros e vem se expandindo com força total. O fato de ser deliciosa, garante ao cardápio um sucesso excepcional, ganhando novos adeptos a cada dia. No mês em que a cidade realiza o Bunka-sai – Festival da Cultura do Japão, selecionamos algumas curiosidades desta culinária milenar.

Arroz - a maioria dos pratos japoneses é acompanhada ou tem como base o arroz. Ao preparar a iguaria procure arroz do tipo japonês com grãos pequenos e arrendondados. Sempre cozido sem óleo e sem tempero.

Sushi - o arroz para sushi deve ser temperado com uma mistura de vinagre de arroz, açúcar e sal. A regra geral é: quanto mais forte o recheio, mais salgada e menos doce a mistura com vinagre.

Sashim - os peixes para sashimi sempre devem estar muito frescos e com uma consistência firme. Os cortes devem sempre ser feitos contra as fibras para que seus resíduos não acabem nos dentes.

Acompanhamentos - você já reparou que os pratos japoneses sempre vêm acompanhados por pepino, nabo e gengibre? Estes ingredientes têm como objetivos refrescar o paladar e permitir que se sinta o sabor de cada prato sem a interferência do anterior.

Shoyu - tradicionalmente, o shoyu deve ser servido em recipientes individuais. Ao temperar o seu sushi ou sashimi, evite que o arroz ou o wassabi entre em contato com o molho para que o molho não fique com o gosto do tempero ou resíduos do grão.

Hashis - por mais deliciosa que a comida esteja, é considerado gafe chupar ou lamber os palitinhos. Da mesma forma que não se usa os palitinhos para apontar pessoas, gesticular com eles nas mãos ou espetar a comida.



Leia Também