Quando a gente pensa na herança cultural deixada pelos mais dois mil colonos alemães
que chegaram a Petrópolis a partir de 1845, a culinária é uma das características que vem imediatamente à mente. E é por isso que um projeto criado pelo Segmento Germânico na cidade quer transformar a cuca e o pão alemão em Patrimônio Imaterial do município, com o objetivo de preservar esses alimentos, tão consumidos pelos petropolitanos até hoje. Nesta segunda-feira (12.02), durante assembleia, o Conselho Municipal de Cultura aprovou o tombamento do DeutchesBrot – o pão alemão e da Kuchen – a cuca. O próximo passo vai ser levar o projeto para análise do Iphan. A ideia do projeto, elaborado por entidades ligadas aos descendentes alemãs, é fortalecer o reconhecimento do valor histórico e cultural dos produtos, levando em conta sua função social e preservação, e ainda fomentar o desenvolvimento econômico e turístico do município para que os alimentos sejam mais explorados como itens de ‘Turismo de Experiência’. 
Na culinária, como tradição, os imigrantes alemães trouxeram preparações de receitas que carregam nata, manteiga, bacon, carne de porco, miúdos, queijos, conservas, embutidos, entre outros, já que era o tipo de alimentação típica para o clima alemão: frio rigoroso, com pouco sol.O projeto traz receitas tradicionais da cuca e do pão alemão, muito consumidos até hoje. No caso do bolo, que leva farinha de trigo, açúcar, ovo, manteiga, fermento e sal, o recheio foi adaptado com frutas típicas do Brasil. Enquanto na Alemanha ele era feito com cereja, maça, entre outras, em Petrópolis novas idéias surgiram utilizando a banana e o coco, por exemplo. Já o pão, muitas famílias mantém exatamente a mesma tradição com a receita que leva farinha de trigo, banha, açúcar, sal, fermento e água.
“Foi muito importante pra nós essa aprovação do Conselho de Cultura. Já temos o apoio também do Comtur (Conselho Municipal de Turismo), Igreja Luterana, Igreja do Sagrado, Turispetro, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, entre outros. Agora vamos levar para o Iphan. A cuca e o pão alemão são muito importantes para a história de Petrópolis”, frisa Renato Winter, diretor do Clube 29 de Junho, responsável pela iniciativa junto com a Associação dos Grupos Folclóricos Alemãs de Petrópolis – AGFAP, o Instituto Bingen e a FECAB – Regional Serrana Fluminense.

Patrimônio Imaterial
A ideia do segmento germânico é conseguir o registro em Livro Tombo do Patrimônio Cultural de Petrópolis, conforme previsto no parágrafo 3.º do artigo 8º da Lei 7.251 de 12/11/2014 dos Bens Imateriais, da cuca (Kuchen) e o pão alemão (DeutchesBrot) como Patrimônios Imateriais da cidade.A lei prevê que qualquer do povo, mediante requerimento dirigido ao Conselho Municipal de Cultura, poderá instaurar processo de indicação de tombamento. É considerado “patrimônio cultural imaterial” as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados – que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural, que se transmite de geração em geração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário