Escolhas alimentares podem aumentar risco de desenvolvimento da doença
Há anos o mês de outubro é marcado pela campanha nacional de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que em 2018 foram diagnosticados 59.700 novos casos da doença, sendo que 30% poderiam ser prevenidos com alimentação balanceada, atividade física, eliminação do consumo de bebidas alcóolicas e outros hábitos ligados a um estilo de vida saudável. 
Para ajudar a esclarecer como as escolhas alimentares atuam na prevenção do câncer de mama, Jéssica Santos, nutricionista, responde abaixo dúvidas sobre o assunto:
A carne vermelha em excesso aumenta a chance de desenvolver o câncer de mama?
Sim, diferentes estudos realizados por instituições como Universidade de Harvard e Universidade de Leeds, da Inglaterra, apontam que o consumo excessivo de carne vermelha pode facilitar o desenvolvimento do câncer de mama.
“Para quem deseja tirar o alimento do cardápio, sem perder o sabor e demais valores nutricionais, pode procurar por substitutos da carne à base de vegetais como os feitos de proteína da ervilha ou de soja”, sugere.

Quais alimentos podem reduzir o risco da doença?
Ao adotar uma alimentação balanceada e rica em alimentos in natura como frutas, legumes, vegetais e cereais integrais, menor serão as chances de células cancerígenas se desenvolverem. Isso porque fibras alimentares e antioxidantes, encontrados em frutas, leguminosas e cereais, atuam diretamente na eliminação de toxinas do organismo que podem desencadear tumores. 

A obesidade é um fator de risco?
Sim, por estar associada à péssimos hábitos alimentares a obesidade também representa outro fator de risco do câncer de mama. Além de estar relacionada com diabetes e hipertensão que podem dificultar o tratamento do câncer.
Consumo de bebidas alcóolicas também aumenta o risco do surgimento do câncer de mama?
Sim, bebidas alcóolicas em geral quando consumidas regularmente podem ajudar no desenvolvimento de células cancerígenas.
“De uma forma geral, a longo prazo uma alimentação saudável e pobre em gorduras saturadas, açúcar e alimentos ultraprocessados além de ajudar a prevenir o câncer de mama, também contribui para reduzir agressividade da doença quando afeta a paciente”, argumenta. 


Leia Também