Cantora e compositora anuncia turnê passando por Petrópolis e faz relato afetivo sobre sua relação com a nova música brasileira

Cantora e compositora de Toronto, Julie Neff vem colecionando experiências internacionais ao longo de festivais pelo mundo e sessions que compartilha com bandas as quais se identifica. Em sua trajetória, realizou encontros que vão da Suécia à Argentina. O despertar para a nova produção musical brasileira aconteceu em 2018, durante a Indie Week, em Toronto, quando Julie teve a oportunidade de assistir ao show da Scalene e gravar um set acústico com a banda. “Abrimos nossos olhos para a música brasileira sobre a qual não tínhamos ideia antes”. Na mesma ocasião, ela também conheceu a Trampa, banda independente de Brasília, com quem interpretou a música “Heróis”, arriscando-se a cantar em português. Desde que esteve no Brasil pela primeira vez, em 2018, para se apresentar no festival CoMa, o desejo de voltar permaneceu latente. Planejou uma turnê para 2019 no mês de dezembro e anunciou datas em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e também na cidade de Petrópolis, onde ela integra a programação do Solstício do Som. Seu show está marcado para sábado, dia 21, às 19h, na Casa Inspira.
Em São Paulo Julie Neff tocou na noite “Eclectic Comfort”, que fez parte da agenda da Semana de Música Internacional (SIM). Na ocasião, a Far From Alaska, grupo do Rio Grande do Norte, tocou como banda da artista, que dividiu a noite com a AIZA, outra cantora canadense.
Cantar sempre fez parte da vida de Julie, e há cerca de cinco anos a artista começou a compor suas próprias canções, até perceber que já tinha um volume consistente de músicas para mostrar ao mundo. Compartilhar seu trabalho fez com que ela criasse uma rede de colaboração com outros profissionais criativos, como designers e filmmakers, e é esse “microcosmo” que mais a motiva seguir com sua música. “É sobre fazer o que eu amo e poder ver outras pessoas fazerem o que gostam também”. O videoclipe Pick Up My Pieces lançado em julho de 2019 é um bom exemplo deste tipo de parceria.
Seus momentos de maior inspiração acontecem quando ela sente que está em movimento e com a cabeça cheia de projetos. “Quando estou vivendo, trabalhando duro e adquirindo novas experiências, estou fazendo com que melodias fluam de mim. Muitas vezes, é uma maneira de lidar com as dificuldades. Algumas pessoas dizem que é “música para consertar a vida”, e eu gosto disso. Definitivamente é isso que estou tentando fazer!”
Além de estar compondo com a brasiliense Ellefante, com quem dividirá uma noite ao longo da turnê, Julie Neff contratou artistas gráficos brasileiros para desenvolverem os pôsteres de seus shows. “Esta é uma grande prioridade para mim: trabalhar com artistas locais nas comunidades em que estou entrando. Sonho ainda com MUITAS colaborações musicais, mas em especial, adoraria poder cantar com a Xênia França e a Tuyo. São vozes tão incríveis e com muita potência de harmonia”, complementa, sem deixar de dizer que coloca para tocar com frequência em sua casa bandas como Supercombo, Aguaceiro, Far From Alaska e muitas outras. “Os músicos brasileiros são tão incríveis, possuem um imenso talento, mas sempre o conduzem com muita humildade”. 
Em 2018 Julie Neff lançou seu primeiro EP, de nome “Catharsis”. Já em 2019, chegou às plataformas de música o “Growing Plans”, com duas faixas inéditas, além do single “Nothing New”. Entre suas influências estão a canadense Feist, a inglesa Florence Welch e a clássica norte-americana Nina Simone.

Serviço:
Julie Neff @ Petrópolis
Sábado, 21 de dezembro, às 19h, no Solstício do Som
Casa Inspira: Av. Barão do Rio Branco, 1062 - Centro - Petrópolis

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis