Profissionais de Petrópolis reforçam cuidados em atendimentos emergenciais
Foto: Profilm


Medidas de segurança são essenciais

Equipamentos de proteção individual foram adotados


Em plena pandemia causada pela Covid-19, doença que também é conhecida como novo coronavírus, diversos profissionais de saúde optaram por adotar medidas de segurança que seguem os protocolos das organizações mundiais de saúde, para manter pacientes e médicos protegidos dos riscos que existem durante os atendimentos de urgência e emergência.

Desde atendimentos realizados à distância, até a redução no número de consultas, recebendo apenas pacientes mais críticos, todas as medidas fazem parte de ações que têm como objetivo a prevenção da doença, que vem atingindo milhares de pessoas diariamente em todo o mundo, inclusive na cidade de Petrópolis, que já teve óbitos registrados por conta da Covid-19

Em Petrópolis, a possibilidade do teleatendimento, sancionada pelo Presidente Jair Bolsonaro na última semana, já começa a ser usada por algumas clínicas e os atendimentos presenciais, seguem com novos parâmetros por conta da pandemia. 

“Estamos em fase inicial do uso. Um dos convênios que temos na clínica, deve começar a oferecer o serviço já nos próximos dias e outros estão se movimentando. Estamos liberando o atendimento para resolução de casos simples, principalmente relacionados as pálpebras e orientação dos outros casos antes da consulta presencial, evitando assim deslocamentos desnecessários”, explica a Oftalmologista Ana Luísa Aleixo.

Cabe ressaltar os atendimentos são direcionados aos pacientes que apresentam queixas agudas ou que não podem ser resolvidas à distância, particularmente quando há baixa de visão. Pacientes crônicos com doenças que ameacem a visão também são examinados.

Além da implementação de triagem para definir casos em que o atendimento é necessário, foi preciso redobrar os cuidados em relação a vestimenta dos profissionais e com a limpeza dos consultórios. 

“Uma das questões são as máscaras, que não são mais as que eram usadas anteriormente, mas sim modelos que oferecem fator de proteção maior, além do Face Shield, um equipamento de dupla proteção antirrespingos, que funciona como barreira para a circulação do vírus. Os jalecos também tiveram de ser substituídos por descartáveis e diversas vezes por dia higienizamos os ambientes e superfícies com água sanitária, álcool e bactericidas”, diz o Cirurgião Dentista, Gustavo Justen.

Os especialistas reforçam que pacientes com sintomas respiratórios não estão sendo atendidos neste momento. Houve ainda a necessidade da redução do número de consultas agendadas e a adoção de procedimentos de segurança ao entrar nos consultórios, como lavar as mãos e fazer o uso de álcool gel. 

“Recomendamos que seja respeitada a distância mínima de 1 metro dos funcionários e que seja feito o uso de máscara. Importante salientar que após cada atendimento, todos os equipamentos e também cadeiras que o paciente utiliza, são desinfectados. Estamos trabalhando com segurança, para garantir que tudo esteja bem o quanto antes”, diz Ana Luísa. 

“Trouxemos tudo o que pudemos de mais avançado para garantir o cuidado de quem passar por aqui. No ramo odontológico que mexe diretamente na boca do paciente, um lugar de onde saem muitos fluídos, tivemos que adaptar para conseguir fazer os atendimentos. Uma das medidas foi instalar um sugador específico para aerossóis odontológicos, ou seja, micropartículas que saem do paciente. O local onde são cuspidos os resíduos, também passam por grande higienização e alguns procedimentos, tiveram de ser temporariamente suspensos. Tudo pra garantir a proteção de quem está por aqui”, finaliza Gustavo.

Leia também:








Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis