Sábado, 26 de dezembro, a partir das 18h, simultaneamente pela TV Petrópolis – Canal 10 via Tech Cable/ Speed Fiber, bem como pelo Facebook (@tvpetropoliscana10), Instagram (@tvpetropolis), Youtube da emissora (TV Petrópolis Canal 10) e Youtube da Xdaquestão Produções, será veiculado o monólogo “Memórias de Pedro”.

 

Memórias de Pedro é um monólogo pautado na vida do conhecido e também completamente desconhecido Imperador D. Pedro II. A cena se inicia com o Imperador fazendo uma breve reflexão sobre o quanto o Brasil do século XIX é marcado por diversas mudanças, a começar por 1808 com a chegada da Família Imperial, passando por sua Independência em 1822, o Primeiro Império, Segundo Império. É um século de grandes questões políticas, a luz do iluminismo, mas também cercado de doenças que assolavam os ambientes urbanos, como é o caso do Rio de Janeiro.

 

No texto em forma de conversa informal o ator Fábio Branco, que interpretou o Imperador D. Pedro II no projeto “Acendes das Luzes – Natal Imperial 2018 – Petrópolis/ RJ” e há quase 02 anos se mantêm fixo com o mesmo personagem nos projetos “Contando as Histórias de Petrópolis”, “Jantar com o Imperador” e “Sarau da Boa Vista”, se apropria de todo o seu conhecimento corporal, gestual e cênico, pautado nas normas de etiqueta dos nobres do século XIX, para dar vida a esse projeto.

 

Na narração em primeira pessoa, com figurino, barba e acessórios pautados em fotos do Imperador D. Pedro II, o ator Fábio Branco relembra as grandes epidemias que atingiam a população da capital do Império, com números devastadores. A cólera estava entre as doenças, assim como a febre amarela e a varíola. A epidemia de cólera teve sua terceira pandemia em agosto de 1855, tendo aportado no Império primeiramente no Pará, através de um navio vindo da cidade do Porto, em Portugal, no mês de maio do mesmo ano. Entre agosto de 1855 a junho de 1856, a mortalidade somente contada na cidade do Rio de Janeiro indicava 4.828 mortos no relato do barão do Lavradio, superando em pouco o número de mortes da febre amarela, ocorrida cinco anos antes.

 

Além dos números da pandemia oitocentista o ator pontua as decisões tomadas pelo Imperador à época do ocorrido e como, mesmo com todas as mortes e tristezas, o Brasil conseguiu superar a pandemia e seguir caminhando.

 

A intenção da cena artística é fazer uma comparação sobre as ações de um dos monarcas mais respeitados do mundo com as atuais atitudes diante de uma nova pandemia que assola o Brasil. Tudo isso e muito mais numa cena límpida, reconfortante e alinhada com os registros históricos que remontam conversas informais da família imperial para com o povo brasileiro.

 

No elenco o Fábio Branco, a Direção Geral e Executiva ficou por conta de Maurício Araújo, a diretora de produção e secretária teatral é a jornalista Carla Coelho e a historiadora responsável pela pesquisa, Maria Angela Gomes. A produção é assinada em parceria pelas empresas Comunicação Livre e Xdaquestão Produções.

 

O projeto possui classificação livre, a estreia será no sábado dia 26 de dezembro às 18h, mas o vídeo vai permanecer à disposição de todos os internautas no Youtube da Xdaquestão Produções neste link

 


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis