Quem vai governar Petrópolis a partir de janeiro de 2020 é o presidente da Câmara de Vereadores que for escolhido pelos membros do Legislativo Municipal.

 

Embora Rubens Bomtempo (PSB) tenha sido o candidato a prefeito mais votado em Petrópolis, vencendo nas urnas os dois turnos, não foi diplomado nem será de empossado no dia 1º de janeiro.

 

Declarado inelegível por conta de condenação em ação civil pública por improbidade administrativa, Bomtempo perdeu todos os recursos no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, depois de apelar ao Tribunal Superior Eleitoral pedindo uma liminar para ser diplomado e empossado como prefeito. O pedido de tutela provisória de urgência analisado e indeferido pelo ministro Sérgio Banhos.

 

Agora, o processo será analisado pelo plenário do TSE, mas isso só ocorrerá após o recesso do Poder Judiciário cuja sessão está marcada para o dia 21 de fevereiro de 2021. Se a rejeição do recurso de Bomtempo for confirmada, os eleitores de Petrópolisvoltarão às urnas em eleição suplementar, em data a ser definida pelo TRE-RJ. 

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis