Helicópteros vão levar imunizante a 88 municípios

Quatro municípios já receberam a vacina na última sexta


A Secretaria de Estado de Saúde (SES) conclui, nesta segunda-feira (22.02), a entrega de um lote de vacinas CoronaVac que será destinado a pessoas que já receberam a primeira dose. A partir das 7h, quatro helicópteros vão decolar do 12º Batalhão de Polícia Militar, em Niterói, levando o imunizante para 88 municípios. Na última sexta-feira (19.02), Rio de Janeiro, Niterói, Maricá e São Gonçalo retiraram os lotes. Desta vez, serão distribuídas 173.500 segundas doses do imunizante, além de outras 20 mil para utilização como primeira dose - que estavam armazenadas como reserva técnica. A ação contará com helicópteros do Corpo de Bombeiros e do Governo do Estado e apoio da Polícia Civil.

– Conforme programado, estamos fazendo a entrega das vacinas para a aplicação da segunda dose das remessas enviadas nos dias 3 e 11 de fevereiro. Esta estratégia garante o cumprimento de uma etapa do calendário vacinal. Além disso, mais 20 mil doses serão entregues, possibilitando a vacinação de novas pessoas. Estamos aguardando confirmação de envio de remessas pelo Ministério da Saúde, que serão distribuídas de acordo com o proposto pelo Programa Nacional de Imunizações - disse o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves.



A Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) reforçou, por meio de ofício enviado aos 92 municípios, a importância de os responsáveis técnicos e gestores municipais organizarem suas ações de vacinação priorizando os grupos elencados no Programa Nacional de Imunização (PNI). A SVS ressalta ainda que a programação deve ser organizada de acordo com o número de doses que serão aplicadas no dia, para que o frasco multidose seja totalmente utilizado. Denúncias de irregularidades na vacinação são encaminhadas imediatamente aos órgãos de controle.



Cabe também ressaltar que as técnicas para aplicação da vacina contra Covid-19 são as mesmas já estabelecidas pelo Manual de Normas e Procedimentos para Vacinação, publicado pelo Ministério da Saúde há sete anos, e que consta no PNI. Desta forma, não se faz necessária a criação de um novo protocolo específico para o imunizante contra o coronavírus.



A SVS informa ainda que todo cidadão pode e deve acompanhar o processo de vacinação, verificando qual imunizante está recebendo, o uso de seringas descartáveis, a aspiração do produto e a correta anotação na carteira de vacinação. No caso de pessoas incapacitadas, esse acompanhamento deve ser feito por um responsável.


(Edição: 22/02/2021)

 



 

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis