Patrícia de Moraes Mello Boccolini
 

 

A professora e pesquisadora, Patrícia de Moraes Mello Boccolini, do Núcleo de Informação, Políticas Públicas e Inclusão Social (NIPPIS) do Centro Universitário Arthur Sá Earp Neto / Faculdade de Medicina de Petrópolis (UNIFASE/FMP), em parceria com a Fiocruz, recebeu financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação Bill e Melinda Gates para a pesquisa "CoVac: o papel das mídias sociais, Programa Bolsa-Família e Atenção Primária em Saúde na cobertura vacinal em crianças menores de cinco anos no Brasil". Na última quarta-feira (10/03), Boccolini participou da cerimônia de apresentação dos 12 projetos contemplados no país.

 

"Ser contemplada nesse edital foi um privilégio, uma vez que foram selecionados 12 projetos com pesquisadores representando instituições de grande prestígio no Brasil. Esse projeto permitirá maior visibilidade nacional e internacional da UNIFASE/FMP, uma vez que será acessado e compartilhado também por pesquisadores dos EUA, Índia e alguns países africanos", comenta a pesquisadora Patrícia de Moraes Mello Boccolini.

 

A pesquisadora explica que a vacinação pode ser considerada a intervenção de menor custo-benefício para a saúde infantil, mas disparidades na cobertura vacinal ainda excluem cerca de 20 milhões de crianças que não têm acesso aos serviços de imunização de rotina.

 

“Os programas de imunização contribuem significativamente para reduzir o adoecimento e morte por doenças imunopreveníveis, entre crianças menores de cinco anos, e determinantes socioeconômicos, como a melhoria no desenvolvimento social, aumento do acesso à educação, saneamento básico e investimentos na implementação de intervenções em saúde, que refletem na redução da carga global de doenças”, destaca Boccolini.

 

Um problema a ser vencido no país está em relação ao processo de conscientização das pessoas em relação aos benefícios da vacinação. A pesquisadora explica que apesar do amplo amparo científico em relação à eficácia, as vacinas têm sido alvo frequente de críticas e dúvidas infundadas sobre eficiência e segurança.

 

“O intitulado “movimento antivacina” têm contribuído nesse sentido ao distorcer e divulgar dados, sem base científica, e popularizar notícias falsas. Este movimento vem ganhando espaço no Brasil, principalmente, através das mídias sociais, tendo potencial para ser um dos possíveis fatores responsáveis por reduzir a cobertura vacinal. Nosso projeto se destaca ao propor como objetivo compreender e analisar os determinantes da cobertura vacinal no território brasileiro, utilizando um modelo teórico-conceitual, para avaliar sua associação com fatores socioeconômicos, cobertura da atenção primária em saúde (APS) e do Programa Bolsa Família (PBF), além da influência dos padrões de disseminação de conteúdos sobre imunização nas mídias sociais”, explica Patrícia de Moraes Mello Boccolini.  

 

A Fundação Bill & Melinda Gates visa fomentar inovações que proponham soluções práticas para os principais problemas de saúde, agricultura e desenvolvimento, através do programa Grand Challenges Explorations (GCE). Para acessar o projeto no Grand Challenges Explorations, basta acessar aqui!

 

O objetivo é promover parcerias entre os pesquisadores apoiados pela iniciativa e contribuir para a qualificação de pesquisadores jovens e experientes por meio do apoio contínuo, feito por parceiros envolvidos na publicação das chamadas. No Brasil, o GCE encontra-se em sua segunda chamada em conjunto com o Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde (Decit/ SCTIE) do Ministério da Saúde (MS) e com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Dessa vez, o foco do financiamento para projetos em ciência de dados não foi apenas em saúde materno-infantil, mas também em saúde da mulher e saúde da criança, considerando suas interfaces com vulnerabilidades sociais, raciais e geográficas, alinhadas aos objetivos do desenvolvimento sustentável e às necessidades do Sistema Único de Saúde brasileiro.

 

“Esse projeto veio em tempo oportuno, pois estamos vivendo um momento delicado não apenas devido à redução de investimentos em ciência, mas também em relação à crise política, econômica e sanitária, permitindo que pesquisadores oriundos de universidades públicas e privadas brasileiras continuem a desenvolver, com excelência, seus projetos de pesquisa”, finaliza. 


Cerimônia virtual de apresentação dos 12 projetos contemplados no país


Conheça mais a UNIFASE acessando aqui!

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem