Foto: ilustração

Nos últimos três meses, desde janeiro deste ano, Petrópolis aumentou em 90,54% o número de leitos clínicos e em 31,86% os de UTI para pacientes com covid-19. Os números são da Secretaria Municipal de Saúde e evidenciam os esforços que vêm sendo feitos para garantir que a rede de saúde consiga absorver a crescente demanda em meio à pandemia. A rede pública de saúde da cidade, que em dezembro contava com 165 leitos, sendo 91 de UTI e 74 clínicos, hoje tem 261 vagas: são 120 leitos de UTI e 141 clínicos. Somando as redes pública e privada, Petrópolis conta hoje com 408 leitos.

 

“No momento em que registramos a maior alta no número de atendimentos e também de internações, esta ampliação se mostrou a decisão mais acertada. Vemos os municípios do entorno sem leitos há muito tempo, tendo que levar seus pacientes para outros municípios. Na cidade, a estrutura criada no ano passado e ampliada neste ano nos permitiu atender a população”, afirmou o prefeito interino Hingo Hammes.

 

Levando em conta os leitos destinados a pacientes com covid-19 há um ano, em abril de 2020, verifica-se um aumento de mais de 78,76% no número de vagas para internação. Na época, o município contava 146 leitos para coronavírus, somando de UTI e clínicos.

 

Unidades declaradas como sendo de apoio à covid-19

 

Hoje, além dos leitos próprios, no Hospital Municipal Nelson de Sá Earp (HMNSE) e no Hospital Alcides Carneiro, e da UPA Vermelha (Cascatinha), Petrópolis conta com leitos pactuados no Hospital Nossa Senhora Aparecida (HNSA) e SMH-Beneficência Portuguesa. Há ainda, o Hospital Clínico de Corrêas (UTI Covid) e o Hospital Santa Mônica, que foram requisitados pelo governo municipal e declarados unidades de apoio na cidade no combate à covid-19. O primeiro tem atualmente 15 leitos de UTI em operação, mas há possibilidade de ampliação, com a chegada de insumos e reforço das equipes. Já o segundo tem 51 leitos clínicos, sendo 2 intermediários.

 

“É importante que todos entendam que as ações para ampliação de leitos não diminuem a necessidade de a população manter – até aumentar – os cuidados para prevenir o coronavírus. O uso de máscaras é indispensável, assim como os cuidados para higienização das mãos. É importante, ainda, evitar aglomerações e manter o distanciamento social. Precisamos, todos, atuar para conter o vírus”, disse o prefeito.

 

Após recorde em março, Petrópolis registra queda na demanda nos pontos de apoio

 

Números registrados nos pontos de apoio em Petrópolis destinados ao atendimento exclusivo de pacientes com covid-19 mostram que houve queda na demanda nesta última semana, com reflexo direto nas internações. Comparando os dados da semana de 31/03 a 06/04 com os da semana anterior, 24/03 a 30/03 é possível verificar queda de 30% na procura, de quase 2 mil atendimentos para cerca de 1.400. O número registrado agora é semelhante ao verificado no início de março, na semana do dia 3 ao dia 10.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem