Mudanças passarão a valer com liberação de normativas e reorganização do Ministério para distribuição de vacinas seguindo as novas regras

 

Dose de reforço será aplicada em todos os maiores de 18 anos com intervalo de cinco meses após segunda dose

 

Segunda dose da Pfizer passará a ser aplicada com intervalo de 21 dias

 

Equipes da Divisão de Imunização da Secretaria de Saúde trabalham no planejamento para a nova etapa da campanha de Imunização contra a covid-19, que depende do envio de nota técnica do Ministério da Saúde e da chegada de novos lotes de vacinas específicos para este fim. Conforme anunciado pelo ministro da Saúde Marcelo Queiroga, na terça-feira (16.11), a aplicação da dose de reforço terá o prazo reduzido de seis para cinco meses após a segunda dose. O reforço na proteção - até então destinado a idosos, trabalhadores da Saúde e pacientes imunossuprimidos - será estendido a todas as pessoas maiores de 18 anos. O Ministério da Saúde também anunciou nova redução no intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina Pfizer, que passa a ser de 21 dias. O intervalo que inicialmente era de 12 semanas já havia sido reduzido para oito semanas em setembro.

 

“Petrópolis se destaca na campanha de imunização contra a covid-19 pela organização com que a Secretaria de Saúde vem conduzindo os trabalhos desde o início da vacinação. Temos uma equipe dedicada e comprometida em fazer com que a vacina chegue a todos os petropolitanos. Com as novas medidas anunciadas, que aumentarão novamente o público a ser alcançado, a Secretaria de Saúde está mais uma vez fazendo todo o planejamento para que a cidade se mantenha reconhecida pelo trabalho de excelência”, destaca o prefeito Hingo Hammes, que agradece ao empenho de todos para os bons resultados da vacinação.

 

Até terça-feira (16/11) Petrópolis tinha 91,71% das pessoas maiores de 12 anos com pelo menos uma dose da vacina e 72,98% deste grupo com o esquema de vacinação completo, com a segunda dose ou dose única da vacina. 

 

“Os resultados positivos da vacinação são visíveis a cada dia, com a redução dos casos graves que geravam internações. Durante sete dias permanecemos sem pacientes internados em leitos clínicos na rede pública. Hoje temos uma taxa de ocupação de leitos clínicos em 6,67% e 1,5% na ocupação de UTIs SUS. Isso é resultado da vacinação”, destaca o secretário Aloisio Barbosa da Silva Filho, lembrando a importância da vacinação para estes resultados.

 

“A vacinação foi feita com agendamento e de forma organizada, com a campanha avançando sem que em momento algum precisássemos suspender o trabalho. Temos equipes fazendo a busca ativa nas comunidades para alcançarmos aquelas pessoas que por algum motivo ainda não tenham conseguido se vacinar e recentemente levamos a vacinação para uma ação de saúde no terminal do Centro. Agora entraremos numa outra etapa importante.  Estamos aguardando as orientações do Ministério da Saúde e a chegada de novos lotes de vacinas para que possamos avançar para esta nova etapa da campanha, mas desde já as equipes estão planejando a logística para que tudo esteja organizado tão logo as vacinas sejam entregues”, explica o secretário .

 

Até terça-feira (16/11), Petrópolis tinha 244.821 pessoas que receberam pelo menos uma dose da vacina e 194.807 pessoas que concluíram o esquema de vacinação com a aplicação de duas doses ou dose única da vacina. Desde o início da aplicação da dose de reforço no início de setembro, 25.457 pessoas, entre idosos com mais de 60 anos, trabalhadores da Saúde e pacientes imunossuprimidos (com imunidade baixa) receberam o reforço na imunização.

 

Entenda o que vale até este momento (em 17/11):

Primeira dose para todos os maiores de 12 anos

Segunda dose para todos os maiores de 12 anos, respeitando o seguinte intervalo entre 1ª e 2ª doses: Coronavac – 28 dias / AstraZeneca – 8 semanas / Pfizer – 8 semanas

Dose de reforço para idosos com mais de 60 anos (a ser aplicada seis meses após a segunda dose); para trabalhadores da saúde maiores de 18 anos (a ser aplicada seis meses após a segunda dose); e para pacientes imunossuprimidos também maiores de 18 anos (a ser aplicada 28 dias após a segunda dose

 

Entenda as novas mudanças anunciadas, que entrarão em vigor com a liberação das normas técnicas e a chegada de vacinas:

Primeira dose para todos os maiores de 12 anos

Segunda dose para todos os maiores de 12 anos, respeitando o seguinte intervalo entre 1ª e 2ª doses: Coronavac – 28 dias / AstraZeneca – 8 semanas / Pfizer – 21 dias

Dose de reforço para todos os maiores de 18 anos, a ser aplicada cinco meses após a segunda dose.

*A Secretaria de Saúde ainda aguarda informações e orientações do Ministério da Saúde sobre a aplicação de segunda dose da vacina Janssen, até então com aplicação em dose única, já que não há, até o momento, estas vacinas no país.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem