Profissionais da rede de saúde receberam capacitação sobre manejo das plantas pela Fiocruz

 

 A Prefeitura de Petrópolis, em parceria com a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), está realizando o cultivo de plantas medicinais em duas unidades de saúde de Petrópolis: na UBS do Retiro e no PSF do Caxambu, no Santa Isabel. Os postos receberam o plantio de mudas de ervas com valor medicinal com o objetivo de estimular a participação e o fortalecimento do vínculo com a comunidade, por meio da construção das hortas. Nos postos foram plantadas mudas de amora, louro, manjericão, hortelã, saião, capim limão, alecrim, camomila, romã, entre outras.

 

Vinte e cinco profissionais da rede de Saúde do município, realizaram o Curso de Educação Popular e plantas medicinais na Atenção Básica, oferecido pela Fiocruz. A capacitação, que ocorreu entre os meses de julho e outubro, permitiu a implementação do projeto na cidade, com a demonstração da importância de cada planta e o valor medicinal delas. A turma, que também foi composta por servidores de outros municípios da região serrana, teve a participação dos agentes de Saúde e profissionais que atuam nas unidades de Petrópolis.

 

O prefeito Hingo Hammes destaca que o objetivo, com o plantio, é levar a educação das técnicas para a população. “Nosso primeiro objetivo é beneficiar as comunidades e moradores do entorno dos postos de saúde. Com isso, buscamos também educar a população sobre os benefícios e valores das plantas medicinais. A região do Caxambu tem um perfil mais rural. Porém, o Retiro já fica localizado em uma região mais central da cidade. Outras unidades de Saúde também já possuem iniciativas de cultivo de plantas medicinais”, disse Hingo, lembrando que a UBS do Morin é uma das unidades que está sendo trabalhada o uso em grupos terapêuticos, e a Academia da Saúde Castelo possui uma horta suspensa.

 

A fitoterapia é a técnica que estuda as funções terapêuticas das plantas e vegetais para prevenção e tratamento de doenças. A terapia pelas plantas pode tratar e prevenir diversas doenças e distúrbios, como insônia, gripe, estresse, prisão de ventre, fadiga, dores, contusões e machucados, com preparação caseira. A indicação do uso correto, dos riscos e cuidados é feita pela equipe das unidades.

 

“As unidades de Saúde do Retiro e Caxambu receberam o apoio tanto em insumos, mudas, kits de jardinagem, como orientação técnica para o cultivo. A manutenção dos canteiros é feita pelos próprios profissionais dos postos de saúde que passaram por uma formação de procedimentos básicos de manejo e cuidados necessários de hortas medicinais. Nosso intuito é beneficiar a comunidade, ampliar as alternativas de tratamentos, difundir o conhecimento das propriedades terapêuticas das plantas e orientar sobre o uso correto delas”, destaca o secretário de Saúde, Aloisio Barbosa Filho.

 

A apoiadora Institucional da Atenção Básica, Norma Pontes, ressalta que o trabalho de cultivo é voltado para a comunidade: “As plantas são utilizadas em grupo de idosos, a própria unidade distribui quando as pessoas têm alguma necessidade, são feitas oficinas orientando sobre o uso e doamos para os moradores levarem para própria casa. Temos a intenção de reorientar o atendimento de saúde para um modelo mais integral, ampliando o olhar dos profissionais sobre a concepção de cuidado, valorizando o território, a ancestralidade, os saberes populares, a preservação da natureza e da cultura”, disse ela.

 

Norma lembra ainda que durante o curso, os alunos também aprenderam de forma lúdica as técnicas com o jogo Semeando o Cuidado. “Esse é um jogo muito bacana que todos os alunos receberam, para trabalhar de forma lúdica esta integração de saberes sobre as plantas medicinais com a população. É bem intuitivo, e as pessoas conseguem aprender brincando”.

 

Uso de plantas medicinais

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o uso de produtos à base de plantas medicinais. Grande parte da população brasileira utiliza chás, xaropes e tinturas nos seus cuidados com a saúde. Além dos benefícios à saúde da população, a implantação de hortas medicinais em postos de saúde promove o uso sustentável da biodiversidade e incentiva o desenvolvimento comunitário, a solidariedade e a participação social.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem