PUBLICIDADE


 



PETRÓPOLIS - O documentário "Ainda me Lembro do Meu Brejal" começa a ser gravado neste mês de maio em Petrópolis. O objetivo é resgatar memórias e tradições rurais a partir de entrevistas com os moradores do Brejal. Com duração de 40 minutos, o média-metragem pretende reativar as histórias reais de famílias de um lugar que teve uma rica produção cultural, interrompeu suas festas tradicionais e vem, ao longo dos anos, perdendo grande parte de suas memórias orais. 


O filme tem como finalidade documentar conversas vividas pelos descendentes diretos de muitos personagens incomuns, encontrados na cartografia do lugar, com o potencial de reacender suas festas e crenças populares. As narrativas desta comunidade são destacadas como patrimônio da cidade de Petrópolis, cercada pelo desenvolvimento urbano, mas amplamente reconhecida pela maior produção de hortaliças orgânicas e agroecológicas. 


O documentário parte de entrevistas com dez famílias de um lugarejo que vive o silêncio e o tempo calmo da roça. O Brejal é um lugar de fazendas centenárias, cercado de florestas, vales, rios e nascentes. No centro da localidade, encontram-se as famílias de Izael de Carvalho, Ilidia Bastos, Mercedes, Maria (Lilica) de Carvalho, Maria Gonçalves, Nelson Correia, e Lurdinha. Na região dos Albertos, estão as famílias Sinézio e Yamamoto, e na região do Juriti, as famílias Mello e Rodrigues Santana. “Todas são famílias raízes, compostas de moradores que chegaram no início do século 19, plantaram, colheram, preservaram suas lendas, guardaram crenças, cantaram rezas e mantiveram as festas religiosas até o século passado”, explica a diretora e roteirista, Paula Maracajá.


De acordo com Paula, o documentário poderá reativar memórias pitorescas e curiosas lembradas em cada núcleo familiar, entrelaçando versões de prosas e “disse-me-disse” da roça, celebrando um território que ainda guarda personagens rurais, saberes e um modo de ser pacato, tradicional e protegido. 


A produção demarca a potência da precariedade do lugar, a sabedoria dos anciãos e o patrimônio rural acessado a cada versão familiar lembrada. “A memória social e coletiva do Brejal possui humor e realismo fantástico. Antes que o amanhã chegue, o documentário revela velhas e novas histórias que a Cidade Imperial ainda não contou”, explica a diretora do documentário.


O projeto "Ainda me lembro do meu Brejal” foi contemplado no Edital de Produções Audiovisuais (Chamada Pública 02/2023) realizado pela Prefeitura de Petrópolis, por meio do Instituto Municipal de Cultura, com recursos do Governo Federal através da Lei Complementar nº 195/2022 - Lei Paulo Gustavo.


Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem

PUBLICIDADE

 


PUBLICIDADE