Apelo à população


Nesta segunda-feira (21.12), 20 especialistas que atuam em unidades públicas e privadas de Petrópolis fizeram um apelo aos petropolitanos por conscientização diante do avanço da covid-19 nas últimas três semanas para evitar um colapso no sistema de saúde, prejudicando também pacientes que precisam de atendimento para outras doenças.  

 

Ao longo deste ano, cientistas e profissionais de saúde de todo o mundo têm estudado, trabalhado e se desdobrado para diagnosticar, tratar e orientar a população  dos profissionais de saúde das instituições públicas e privadas, registrou-se um aumento rápido e avassalador da doença na cidade, em sincronia com o aumento global de disseminação, conforme divulgado pelos noticiários nacionais e internacionais – consta do documento.

 

Os médicos da rede pública, do Hospital Alcides Carneiro e também de hospitais particulares, como Hospital Santa Teresa, SMH-Beneficência Portuguesa, Hospital Unimed e Faculdade de Medicina de Petrópolis (UNIFASE) destacam que hoje, tanto o sistema público, como o privado de saúde do município, registram “elevadas taxas de ocupação” e “unidades pré-hospitalares de urgência/emergência com alta demanda de atendimentos”, o que na avaliação dos infectologistas demonstra elevado grau de contágio na população e uma mortalidade estabilizada em patamar elevado, o que torna a covid-19 a única doença que vem matando  sistematicamente um ou mais petropolitanos por dia.

 

"Nós, infectologistas de Petrópolis nos sentimos na obrigação de emitir este alerta, pois o problema diz respeito a todos os cidadãos e não apenas aos que estão com covid-19 ou com suspeita da doença e aguardam atendimento, mas também aos que apresentam outros problemas de saúde e se deparam com as unidades e hospitais lotados, com dificuldades de lhes prestar assistência" –  dizem os médicos.

 

A preocupação dos infectologistas é ainda maior por conta do período de festas de fim de ano, por conta não apenas do maior risco de contágio em encontros familiares e sociais, mas também por conta do histórico de aumento na demanda por atendimentos comum a esta época do ano.

 

"O período festivo de final de ano, assim como as semanas subsequentes, se caracteriza historicamente por um aumento expressivo da demanda aos serviços de saúde. Considerando que atualmente as unidades de atendimento já se encontram sobrecarregadas pela covid-19, estamos antevendo a possibilidade de expansão do problema nas próximas semanas, caso a população não se sensibilize na adoção de medidas preventivas" – diz o documento, que segue com um apelo para que a população reforce as medidas de prevenção.

 

Diante do exposto, APELAMOS À POPULAÇÃO PETROPOLITANA:

  • use máscara sempre;
  • lave frequentemente as mãos com água e sabão ou higienize com álcool gel a 70%;
  • evite tocar os olhos, boca ou nariz sem higienizar as mãos;
  • evite aglomerações;
  • mantenha o distanciamento social (pelo menos 1,5 m entre uma pessoa e outra);
  • evite sair à rua desnecessariamente;
  • respeite as medidas restritivas estabelecidas pelas autoridades;
  • tenha um Natal e um Reveillon mais reservado, com poucas pessoas;
  • siga as orientações para festividades divulgadas pelos órgãos competentes;
  • se estiver com suspeita ou confirmação de covid-19 ou estiver aguardando resultado do exame, mantenha-se em isolamento domiciliar, não convide pessoas para sua casa e não faça visitas – diz o documento.

 

O apelo segue destacando a importância da conscientização de cada petropolitano, não apenas conter o contágio da covid-19, mas também para preservar a segurança dos membros de cada família.

 

"Todos estamos com saudades das confraternizações, dos abraços, do calor humano de nossos familiares e amigos, porém, esse período de festas terá de ser diferente, para que nos próximos, aos voltarmos à normalidade, possamos contar com a presença de todos os nossos entes queridos. Desejamos aos petropolitanos um Feliz Natal e um Ano Novo de Paz, Prosperidade e sobretudo muita Saúde" – finalizam na carta.

 

O documento é assinado pelos médicos:

Amorita da Silva Grijó – infectologista da Secretaria Municipal de Saúde, Professora de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Unifase/FMP;

Ana Lisa Gallagher – Infectologista do Hospital Municipal Carlos Tortellini em Niterói-RJ

Antônio Luiz Chaves Gonçalves – Professor titular de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Unifase/FMP, Infectologista da UNIMED;

Beatriz Guerra Vitral - Infectologista da Secretaria Municipal de Saúde, Professora de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Unifase/FMP;

 Bianca Ferreira Fonte – Infectologista do Ambulatório de HIV/Aids de São João de Meriti-RJ e do Laboratório de pesquisa em HIV/Aids – Fiocruz;

 Erick Rodrigues Candido – Infectologista do Hospital Clínico de Correas, Hospital Alcides Carneiro, Unimed e Professor da Unifase/FMP;

Felipe Machado Moliterno – Infectologista Pediátrico, Professor de Pediatria da Unifase/FMP, Coordenador da regional Serrana da Sociedade de Pediatria do estado do Rio de Janeiro;

José Henrique Castrioto de Cunto - Infectologista da Secretaria Municipal de Saúde, Professor de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Unifase/FMP;

 José Maurício Machado Lima – Infectologista; Leonardo Figueiredo de Menezes – Infectologista e Diretor executivo do Hospital Santa Teresa;

Luiz Arnaldo Magdalena Pereira – Infectologista e Diretor Médico da Beneficência Portuguesa – SMH Professor de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Unifase/FMP;

Luiziana de Carvalho Monteiro de Barros – Infectologista pediátrica;

 Marco Antonio Garcia Liserre – Infectologista da Unimed, do Hospital Municipal Nelson de Sá Earp e da Secretaria Municipal de Saúde;

Maria Cristina Balthar Machay - Infectologista da Secretaria Municipal de Saúde, Professora de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Unifase/FMP;

Miguel Abud Marcelino – Infectologista da Unimed, Professor e Pesquisador do Nippis (parceria entre a Unifase-FMP e o Icict/Fiocruz);

Paulo Cesar Guimarães – Infectologista, Infectologista Pediátrico, Diretor da Faculdade de Medicina de Petrópolis;

Priscila Magalhães Feleppa Valente – Infectologista pediátrica do Hospital Alcides Carneiro, Professora de Pediatria da Unifase/FMP;

Rafaela Bongiovane – Infectologista da Secretaria Municipal de Saúde;

Samuel Kierszembaum – Infectologista da Secretaria de Saúde de Petrópolis, Infectologista pediátrico, Professor Adjunto de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Unifase/FMP, ex-Vice Presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia;

Susie Andries Nogueira - Infectologista da Secretaria Municipal de Saúde.  

 


Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis