Ao contrário de muitas prefeituras pelo país, em Petrópolis o governo municipal cumpriu todas as etapas de todos os incisos da Lei Aldir Blanc e está realizando os últimos empenhos para pagamentos à artistas e produtores culturais entre hoje (30) e amanhã (31). No total, foram 301 projetos e 24 espaços culturais contemplados com os recursos federais. Petrópolis recebeu R$ 1.936.795,75 para os incisos II e III da Lei Aldir Blanc.



“Outras prefeituras pelo país tiveram que devolver o dinheiro da Aldir Blanc, mas em Petrópolis corremos contra o tempo e trabalhamos duro para regulamentar a lei e lançar os editais para que todos os projetos fossem viabilizados ainda dentro desse ano”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.



No inciso III, o município recebeu mais de 500 projetos culturais de todos segmentos, sendo 301 aprovados. Estavam disponíveis três categorias: na primeira são ideias culturais de qualquer natureza, valor e dimensão, haja vista que estas ideias não serão executadas, com valor de R$1.900,00; na segunda e terceira são ideias culturais que foram apresentadas e posteriormente executadas, com valor de R$ 10.000,00 e de R$ 20.000,00.



Puderam ser apresentados projetos de gravação de álbum; peça online; podcasts; vídeo aulas; exposições virtuais; além de cursos de formação; mostras online de médio porte; gravação de DVD; videoclipes, etc.



“Recebemos projetos maravilhosos que mostram a força da cultura em Petrópolis. E estamos muito felizes de, além de fomentamos a produção cultural neste momento em que ainda estamos pedindo para que as pessoas fiquem em casa, também levar esse socorro para a classe que tanto foi prejudicada durante a pandemia”, explica o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), Rodrigo Bueno.



Em Petrópolis, o município publicou no Diário Oficial do dia 5 de outubro um decreto municipal contendo as regras para os artistas, produtores e espaços culturais pleitearem os recursos dos incisos II e III da Lei Aldir Blanc. O inciso I, que diz respeito ao auxílio emergencial de R$ 600, pago em três parcelas mensais, ficou a cargo do Estado. Membros do IMCE se reuniram constantemente com uma comissão do Conselho Municipal de Cultura para a elaboração dos documentos. E o Conselho aprovou o texto do decreto.

 

“A comissão, que é mista e paritária, foi fundamental para que tocássemos os editais da Aldir Blanc. O trabalho de todos foi muito importante para chegarmos aqui hoje”, completa Rodrigo Bueno.

 

 

 

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis