Os teleatendimentos são realizados pelo telefone fixo e pelo WhatsApp, pela equipe multiprofissional
da USF Estrada da Saudade

A chegada da pandemia alterou radicalmente a rotina de todos. De forma muito particular, os profissionais da área de saúde da família precisaram encontrar maneiras para realizar os atendimentos de rotina sem expor os pacientes ao risco de contágio pelo novo Coronavírus. No dia 15 de abril de 2020, o Ministério da Saúde liberou o recurso do teleatendimento. As unidades geridas pelo Centro Universitário Arthur Sá Earp Neto (UNIFASE/FMP) elaboraram um plano de ação e adotaram a modalidade de consulta a partir de maio de 2020.



Para ser atendido, o paciente previamente cadastrado em uma das unidades desaúde da Família gerenciadas pela UNIFASE/FMP (Unidade Nova Cascatinha, Unidade Estrada da Saudade II, Unidade Estrada da Saudade I, Unidade Boa Vista, Unidade Machado Fagundes) segue o protocolo de preenchimento do termo de aceite do atendimento na modalidade a distância, indicando em qual unidade deseja realizar o atendimento.



"Os profissionais da Saúde da Família da UNIFASE, avaliando a situação nacional em fevereiro e início de março de 2020, realizaram reunião previamente ao decreto da quarentena no município, visando avaliação da conjuntura e buscando garantir a continuidade do atendimento e do processo de ensino da forma mais segura possível. Quando temos um cenário como o atual, no qual o vírus possui alta capacidade de transmissão de pessoa para pessoa, uma das nossas bases na atenção primária, que é fornecer o acesso para os pacientes, fica comprometida. Então, tivemos que reorganizar os nossos fluxos para oferecer um ambiente seguro, mantendo o serviço e acesso aos usuários. A telemedicina veio como uma nova maneira da gente conseguir fornecer esse acesso seguro para a população do nosso território de abrangência, já que acesso presencial necessitou ficar mais restrito para evitar aglomerações nas unidades", explica Nathália Matola Lima, médica da USF da Estrada da Saudade.

De maio de 2020 a janeiro deste ano, foram realizados cerca de 6.611 teleconsultas nas Unidades de Saúde da Família geridas pela UNIFASE/FMP. Os pacientes recebem atendimentos dos profissionais nas áreas de Nutrição, Enfermagem e Medicina, todos realizados por telefone fixo ou via WhatApp, garantindo que os profissionais das Unidades de Saúde da Família acompanhem os pacientes sintomáticos respiratórios, identificando a evolução do quadro clínico de cada um.


"Com o teleatendimento foi possível passar muitas orientações por telefone para os usuários, reduzindo a necessidade dele sair de casa e se expor ao vírus. Nós nos organizamos na equipe para ligar e monitorar o estado de saúde dos pacientes suspeitos ou confirmados com COVID-19 ou usuários que necessitavam de um acompanhamento mais contínuo, e, quando necessário, direcionamos para o atendimento de urgência. Essa modalidade de consulta tem sido uma experiência muito positiva no atual cenário, pois as pessoas da comunidade já nos relataram estar se sentindo ainda mais acolhidas. Conseguimos dar suporte aos pacientes que tiveram diagnóstico positivo para Covid, com algumas complicações, e outros que tiveram complicações nas suas doenças de base, contraindo ou não o vírus. O teleatendimento foi essencial nesse processo em que é necessário o isolamento", frisa a médica de família e comunidade.

As USF's seguiram realizando os atendimentos presenciais essenciais, mas sempre atuando de forma conjunta com o modelo remoto. As agendas médicas e de enfermagem foram remodeladas para turnos entre as consultas presenciais e por telefone fixo ou WhatsApp, tudo para oferecer conforto, tranquilidade e principalmente segurança. Todas as informações pessoais dos pacientes lançadas nos sistemas do teleatendimento seguem os mesmos protocolos das consignadas em prontuário, obedecendo os sigilos legais e rigores éticos dos profissionais de saúde.  

 

"Gostei muito desse sistema, melhor do que ir em uma consulta particular. Estou muito grata por todo o carinho recebido, pois fui bem atendida. Achei ótimo esse modelo remoto, mais rápido e prático", afirma Sara Saldanha, dona de casa.


Para as pessoas que têm dificuldade de locomoção, a possibilidade do atendimento realizado a distância facilitou a dinâmica de acesso às orientações e cuidados com a saúde durante este período de pandemia.


"Não tenho do que reclamar. Sempre tenho minhas necessidades atendidas. Em relação às vacinas e aos laudos, também sem reclamação. Estou muito satisfeito", destaca Atila Beppler Meirelles, paciente cadeirante.

 

(Edição: 09/03/2021)

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem