Em apoio ao mês de conscientização de Doenças Inflamatórias Intestinais (DII), o prédio da prefeitura na Av. Koeler, 260, e o Obelisco foram iluminados com a cor roxa, em alusão ao Maio Roxo. As DII são doenças de caráter crónico, sem cura até o momento, que se manifestam por meio de lesões no intestino ou ao longo do sistema digestivo e exigem tratamento contínuo.

 

A estimativa é de que uma proporção entre 0,5 a 10 pessoas, a cada 100 mil habitantes, por ano, desenvolvam uma das doenças inflamatórias intestinais - retocolite ou crohn.  Os principais sintomas de quem tem DII são de dor abdominal, como cólicas intestinais e diarreia com mais de dez evacuações ao dia, que em alguns casos, podem vir acompanhadas por sangramento. Além disso, febre, emagrecimentos, dores nas articulações e comprometimentos extra-intestinais são outros indícios da doença.

 

“A caminhada de conscientização pelo Maio Roxo, para alertar sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais, não será realizada em funcção da pandemia, mas o trabalho para esclarecer as pessoas é contínuo. A iluminação da Prefeitura e do Obelisco, somada ao trabalho na própria rede de saúde, é a nossa forma de alertar as pessoas para a causa”, disse o prefeito interino Hingo Hammes, lembrando que 19 de maio é o Dia Internacional das Doenças Inflamatórias Intestinais.

 

Em 2021, seria realizada a décima edição da Caminhada Maio Roxo, que teve média de 300 pessoas em suas edições anteriores. Os participantes caminhavam pela Av. Koeler, pelas ruas Imperatriz, 16 de Março, Dr. Nelson Sá Earp, com encerramento no mesmo ponto de partida, na Praça da Liberdade.

 

O médico gastroenterologista José Francisco da Silva Vieira alerta para a importância da conscientização sobre a DII: “As Doenças Inflamatórias Intestinais ainda são pouco conhecidas pela população. Muitas pessoas têm a doença e não sabem. Por isso, precisamos tornar públicos atos de conscientização como esses, evitando complicações futuras e melhorando a qualidade de vida desses pacientes. Quanto antes houver o diagnóstico, menores as chances de complicações”.

 

José conta como surgiu a ideia da caminhada a partir do alto número de diagnósticos. “Em 2010, percebemos um elevado número de pacientes na cidade e criamos a caminhada para despertar a atenção sobre a necessidade do diagnóstico precoce das doenças. Atualmente, eu atendo aproximadamente 260 pessoas com doenças inflamatórias. Sou apenas mais um médico da rede, mas dá para ter uma noção de quantas pessoas são afligidas por ela. De certa forma nos preocupa também”.

 

Ambulatório no Hospital Alcides Carneiro oferece tratamento

 

O município oferece assistência especializada para o tratamento no ambulatório do Hospital Alcides Carneiro (HAC). A clínica especializada, que funciona desde 2009, se tornou referência para o tratamento das doenças inflamatórias intestinais, com profissionais capacitados e toda a estrutura necessária para o cuidado dos pacientes com as doenças inflamatórias intestinais. Ele busca oferecer um atendimento regular aos pacientes que precisam de cuidados especiais para conseguirem melhora nos quadros clínicos.

 

Semanalmente, novos diagnósticos da doença de Crohn e Retocolite ulcerativa são registrados. O ambulatório realiza periodicamente o acompanhamento dos pacientes que devem seguir o tratamento de forma contínua.

 

Quem recebe o diagnóstico de alguma doença inflamatória intestinal, além de receber o acompanhamento que contribui para a manutenção da qualidade de vida, podem participar de grupos de apoio, onde vão poder trocar experiências e saber a lidar melhor com a doença. O grupo Retocrohn Petrópolis realiza reuniões periódicas para esclarecimentos da doença com vários profissionais, oferecendo suporte também para os familiares.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem