Prefeito denuncia más condições do espaço e determina ações para recuperar local

 

Um filme de terror: esta é a visão que o cidadão tem se visitar a parte afetada pelo incêndio do Centro Administrativo Frei Antonio Moser. Em mais de dois anos, o espaço não foi reformado, o entulho continua na antiga entrada do espaço e as infiltrações danificam ainda mais o imóvel. O acidente, até hoje sem solução, aconteceu em 2019, mas a impressão para quem está no local é de que o espaço pegou fogo há poucos dias. E o desleixo é pior: em três anos, nada foi feito mesmo com três projetos distintos feitos pelas secretarias de Saúde, Administração e Serviços, Segurança e Ordem Pública.

 

O prefeito Rubens Bomtempo visitou o espaço – que ele inaugurou em 2016, com o objetivo de gerar economia e integrar os serviços públicos – e ficou perplexo com o que viu. Há três processos para cuidar da recuperação do prédio. Um da área da saúde, porque a secretaria foi afetada; outro da Administração, para reforma de revestimento e mobiliário; e um terceiro, da SSOP, para cuidar da parte elétrica. Bomtempo determinou um estudo sobre esses três processos para analisar a melhor solução para o Centro Administrativo.

 

“Nesta primeira semana, constato, infelizmente, que Petrópolis engatou a ré e pisou o pé no acelerador. No Centro Administrativo, o cenário hoje, dois anos após o incêndio, é igual ou pior do que no dia em que o prédio pegou fogo. É uma situação lamentável que revela a irresponsabilidade do poder público, que foi incapaz de cuidar do próprio patrimônio. Quando inauguramos o Centro Administrativo, fizemos com planejamento, que incluía o redimensionamento de energia de acordo com o número de pessoas que utilizavam cada sala”, disse o prefeito, que agora irá avaliar as medidas necessárias.

 

O prefeito destacou que é preciso enfrentar a questão e dar uma solução para o espaço. “Soube que o governo anterior tinha um projeto para retirar o Centro Administrativo daqui. Não adianta querer fugir do problema, porque a conta acaba saindo mais cara. O imóvel é alugado e a responsabilidade é nossa. Cabe a nós reformá-los para evitar qualquer tipo de ação na Justiça futuramente", disse o prefeito.

 

Se na área onde houve o incêndio a situação é desesperadora, o abandono também pôde ser visto em outras partes do edifício. Instalações elétricas com problemas, salas que foram trocadas de lugar de forma improvisada, sem lógica ou proximidade entre os assuntos abordados e infiltrações nas paredes são apenas as partes mais visíveis dos problemas. Para se ter uma ideia, o Espaço Empreendedor não está mais no Centro Administrativo, mas a placa ficou no local onde hoje funcionam setores da Assistência Social.




 

Diálogo com os servidores

 

Além de checar o estado do Centro Administrativo, Bomtempo também visitou as estruturas das secretarias que funcionam no local, e conversou com os servidores, acompanhado do vice-prefeito Paulo Mustrangi (também secretário de Obras e Serviços, Segurança e Ordem Pública) e dos secretários Marcus Curvelo (Saúde), Karol Cerqueira (Assistência) e Ramon Mello (Administração). “Fiquei impressionado com a falta de estrutura e condições de trabalho para os servidores. Mas vamos reverter o quadro. Nossa ideia é motivar cada vez mais o nosso time, que está trabalhando dia a dia para que Petrópolis seja uma cidade mais justa e igual. Nosso governo será o do diálogo, do respeito e da verdade. Por isso, ouvir quem está na ponta é fundamental”, disse o prefeito.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem