As aulas começam no dia 17 de janeiro, com oficinas de instrumentos, musicalização infantil entre outras

 

Aliada a missão e a intenção da sua criação, a Escola de Música Santa Cecília inicia 2022 com oficinas gratuitas. Serão 4 dias de atividades, que começam no dia 17 de janeiro e vão até o dia 21, com aulas de diversos instrumentos, como violão, guitarra, piano, violino, saxofone, musicalização infantil, técnica vocal, entre outros.

 

As oficinas serão ministradas pelos professores da Escola de Música Santa Cecília, profissionais altamente capacitados, com anos de experiência. “É uma experiência maravilhosa para quem tem o desejo de aprender, pois através das oficinas é possível ter uma introdução do instrumento desejado e de forma gratuita”, destacou o professor Renan Loubach.

 

Qualquer pessoa pode participar das oficinas e não é necessário ter conhecimento prévio do instrumento. Crianças a partir dos 2 anos até os 6, vão poder fazer parte das oficinas de musicalização infantil. Outras modalidades estarão divididas em turmas de crianças de até 12 anos ou maiores que 12 anos, como no caso das oficinas de técnica vocal e violão popular.

 

A Escola de Música Santa Cecília continua respeitando todos os protocolos de segurança, sendo assim, todos os inscritos deverão participar das aulas com o uso da máscara, e os instrumentos não serão compartilhados, portanto, o aluno deve levar o seu, com exceção das oficinas de bateria e piano.

 

Confira a programação:

 

Dia 17/01

09h - Introdução à teoria musical - Pérola Palladino

10h - Introdução ao violão e guitarra (suas semelhanças e diferenças) - Arthur Ribeiro

11h - Violão brasileiro (particularidades de cada estilo ) - Arthur Ribeiro

13h - Musicalização infantil (4 a 6 anos) 4 crianças por turma - Luiza Andrade

14h - Musicalização infantil (2 e 3 anos ) 3 crianças por turma - Luiza Andrade

 

Dia 18/01

13h - Musicalização infantil (4 a 6 anos) 4 crianças por turma - Luiza Andrade

14h - Musicalização infantil (2 e 3 anos) 3 crianças por turma - Luiza Andrade

 

Dia 19/01

9,10 e 11h - Técnica vocal (crianças até 12 anos ) até 7 alunos por turma - Ana Paula Souza

9h30 - Piano (12 a 18 anos) - Andressa Gomes

10h30 - Piano (até 12 anos ) - Andressa Gomes

14, 15 e 16h - Técnica vocal (acima de 12 anos) até 7 alunos por turma - Ana Paula Souza

 

21/01

10h - Introdução ao violão popular (crianças até 12 anos) - Renan Loubach

11h - Introdução ao violão popular (acima de 12 anos) - Renan Loubach

13h - Introdução ao violão clássico - Renan Loubach

14h - Os 5 desenhos da pentatonica na guitarra e sua aplicação

 

As inscrições para as oficinas já estão abertas e podem ser feitas na secretaria da Escola de Música Santa Cecília, localizada à Rua General Osório, 192, Centro, por meio do telefone (24) 2242-2191, do WhatsApp (24) 9 8823-8811 no Instagram: @emusicasantacecilia (https://www.instagram.com/emusicasantacecilia/) ou ainda no Facebook: @santaceciliapetropolis (https://www.facebook.com/santaceciliapetropolis).


 

Sobre a Escola de Música Santa Cecília

A Escola de Música Santa Cecília, foi fundada em 16 de Fevereiro de 1893, pelo professor de música João Paulo Carneiro Pinto, pernambucano talentoso e músico conhecido por sua excelência, atestada por uma das suas premiações, a “Medalha de Ouro” do Conservatório de Música do Rio de Janeiro. O professor, trazido para Petrópolis pela Família do Barão Araujo, que venerava Petrópolis, assim como outras tantas famílias que tinham a cidade como refúgio do calor e dos problemas de saúde que enfrentavam na então capital do Brasil, Rio de Janeiro.

 

Além disso, com a industrialização, na última década do século XIX, Petrópolis atraiu trabalhadores do exterior, como também de todo país, estabelecendo uma união estreita da cidade com os mineiros imigrantes, através do trem de ferro. A República, recém instaurada, sofria pressões políticas, e a Revolta da Armada contra o governo de Floriano Peixoto feria a paz, estando decidida a mudança da capital do Estado do Rio de Janeiro para Petrópolis. Os verões alegres da cidade, a tranquilidade, o ambiente saudável, a garantia de emprego, tornaram-se atrativos para uma nova população que pouco a pouco integrou-se aos colonos alemães.

 

Por causa de toda esta ebulição, o músico João Paulo Carneiro Pinto, abandonou a vida carioca, fixou residência em Petrópolis, onde inaugurou um ensino de música para 34 crianças bem dotadas musicalmente e, principalmente, sem recursos, na escola que leva o nome da padroeira da música, Santa Cecília. Passando de um prédio a outro de doações e subvenções do poder público e do empresariado, a Escola foi inicialmente acolhida no Hotel Bragança, que nada cobrava do maestro.

 

A escola de Paulo Carneiro tornou-se presença obrigatória em toda a vida cultural e festiva de Petrópolis, não só pelo ensino como pela orquestra, participante efetiva de todas as festividades públicas e particulares. A extraordinária e muito respeitada figura do maestro foi presença marcante na vida petropolitana. Ao falecer, a 10 de Setembro de 1923, seu último pedido a amigos e devotados auxiliares: Não deixem morrer a minha Escola!

 

Na manhã de 23 de Setembro de 1923 reuniram-se esses amigos com Sanctino Carneiro, filho do maestro, que abriu mão de todos os bens do pai – representados por instrumentos musicais e a própria escola – iniciando a organização da sociedade civil, hoje conhecida como a Escola de Música Santa Cecília.

 

De prédio em prédio, a sociedade adquiriu, por fim, uma pequenina casa na rua Marechal Deodoro, número 192, esquina da Rua Marechal Deodoro com a Rua General Osorio, onde se instalou com cursos musicais, abrindo seu salão para atividades artísticas em geral, que abrigavam também um cine-teatro. Graças a uma campanha sólida de arrecadação junto à população petropolitana, em 1950 o pequeno prédio foi demolido e as obras começaram. Durante o período de construção, a escola funcionou no Palácio de Cristal. Cinco anos depois, em 1955 foram inaugurados o Edifício Paulo Carneiro e o Teatro Santa Cecília, consolidando o sonho do Maestro Paulo Caneiro.

 

Esta ano, a Escola de Música Santa Cecília comemorou 128 anos de existência. Dentre as centenas de alunos, professores e dirigentes, que passaram por seus bancos escolares e administrativos, destacam-se três notáveis personalidades musicais, todos petropolitanos natos, representantes de três fases da Escola: da primeira (século XIX), a pianista Magdalena Tagliaferro, aluna do maestro Paulo Carneiro; da segunda (primeira metade do século XX), o maestro, pesquisador e compositor César Guerra-Peixe; e da terceira (segunda metade do século XX), o maestro, compositor e pesquisador Ernani Aguiar.

 



Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem