Os diretores do Hospital SMH - Beneficência Portuguesa de Petrópolis, Jorge de Oliveira e Valter José Sillero, com o cardiologista Luiz Antônio de Souza (da esquerda para a direita), em registro feito na rede social do próprio especialista da UTI.



Convite à reflexão

 

O Dia do Médico em 2020 será marcante para os profissionais da classe. Celebrada em 18 de outubro, a data homenageia a categoria que vive o maior desafio da década: o enfrentamento de uma pandemia. Para o coordenador médico das UTIs do Hospital SMH – Beneficência Portuguesa de Petrópolis, Luis Fernando Coutinho, a recuperação de cada paciente é o combustível para a luta diária.

 

Desde março, quando os casos de Covid-19 começaram a ser divulgados e crescer no Brasil, o setor exclusivo para o tratamento do coronavírus do Hospital SMH recebeu 1.682 pacientes com sintomas da doença. Do total, 159 tiveram o diagnóstico positivo para Covid-19. Destes, 80% se recuperaram. São pelo menos 128 motivos para que o cardiologista especialista em terapia intensiva, que tem 35 anos de experiência e 25 de atuação no SMH, esteja diariamente na linha de frente.

 

“São tempos em que temos que tratar os sintomas físicos e as carências emocionais dos pacientes. Temos que nos revigorar a cada dia. É importante que o profissional também se sinta seguro e valorizado em seu ambiente de trabalho. No Hospital SMH – Beneficência Portuguesa de Petrópolis um se preocupa com o outro. Me sinto respeitado e valorizado”, destaca o doutor Luis Fernando.

 

O bem-estar e a segurança dos especialistas que compõem o corpo clínico do Hospital SMH foi mantida entre as prioridades desde o início da pandemia de Covid-19. O neurocirurgião e diretor-geral da unidade hospitalar, em Petrópolis, Jorge de Oliveira, recorda que foi preciso união e planejamento.

 

“Em nenhum momento tivemos problemas com falta de materiais, como os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), pois nossos departamentos financeiro e de compras se planejaram. Nos antecipamos diante das incertezas de um cenário totalmente desconhecido e mantivemos nossa prática de zelo total com nossos profissionais”, pontua o diretor.

 

Apesar das oscilações entre despedidas e recuperações, os motivos para continuar na linha de frente chegam de todas as direções, como o recado deixado para o cardiologista que atua na urgência do SMH, Luiz Antônio de Souza.

 

“Você realmente é incrível. Me ajudou quando estávamos com o Covid, me orientou sobre o que eu deveria fazer com meu pai. Realmente você faz o que ama de verdade, total dedicação e amor pela profissão”, diz um trecho publicado por uma paciente atendida pelo doutor Luiz Antônio no Hospital SMH.

Atualmente a unidade tem 244 pacientes internados, sendo 75 negativos e 11 em análise, desde março. Os dados são da última quinta-feira, 15 de outubro. Neste domingo, Dia do Médico, os especialistas do Hospital SMH estarão, como sempre, dando suporte a estes pacientes e seus familiares.


Leia também:


Unimed Petrópolis promove campanha virtual de conscientização a prevenção do câncer de mama


Fisioterapeuta tem papel fundamental na recuperação da Covid-19


Especialista de Petrópolis alerta sobre o câncer de mama em homens

 

Influenciadora de Petrópolis conta sua experiência com o câncer de mama: "aprendi a viver o agora"!


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis