Site reúne reportagens, curtas-metragens, curiosidades, vídeos antigos e imagen antes x depois do município
 

Lentes de hoje, que refletem o ontem. Graças à modernidade, reviver e aprender com o passado nunca foi tão simples, e é ele que o site Petrópolis Sob Lentes revisita constantemente através de suas postagens. Em formato multimídia, o portal tem promovido o resgate e a preservação da memória da cidade através da publicação de reportagens, curtas-metragens, curiosidades, vídeos antigos e imagens antes x depois do município.

 

Sob lentes dotadas de memória e história, o projeto tem estimulado os petropolitanos a desenvolverem novas perspectivas da cidade a partir de um trabalho pautado pelas lembranças de quem vive em Petrópolis. São mais de cem reportagens sobre casas comerciais extintas que o município teve na cidade, uma série de curtas-metragens sobre os empreendimentos tradicionais que resistem, além de dezenas de curiosidades.

 

De acordo com a idealizadora da iniciativa, a jornalista e escritora Carolina Freitas, graças aos avanços tecnológicos, o cidadão passa a atuar de maneira mais próxima não apenas no processo de produção da notícia, mas no resgate da história da cidade, que se desdobra de maneiras particulares em cada um. “É um trabalho muito gratificante que desperta a ideia de que é possível viajar a qualquer momento, para o passado, sem nem sair do lugar”.

 

Graças a uma parceria entre o site e o Acervo César Nunes - o único acervo cinematográfico do interior do estado do Rio de Janeiro, o Petrópolis Sob Lentes tem disponibilizado imagens antigas e raras do município que trazem desde a subida da Serra nos anos 40 a comerciais de lojas tidas pela cidade no passado. Verdadeiras preciosidades, as filmagens trazem, mais uma vez, o conceito de conhecer através de outras lentes.

 



Para Carolina Freitas, vencedora dos prêmios Maestro Guerra-Peixe de Cultura, na categoria Comunicação (2020) e Alcindo Roberto Gomes de Jornalismo, pela Academia Petropolitana de Letras (2019), ao eternizar importantes capítulos da trajetória da cidade através das recordações dos petropolitanos, o projeto evidencia que a história de Petrópolis é escrita diariamente no comércio e nas ruas por quem a habita.

 

“Diferente do que acontecia até bem pouco tempo, em que, para atuar como porta-voz de um acontecimento, um personagem deveria ter uma formação que o tornasse qualificado para isso, o que eu sinto hoje é que, independente das origens sociais e nível de escolaridade dos petropolitanos, cada um traz consigo memórias que, quando colocadas juntas, auxiliam na construção do quebra-cabeças da história de Petrópolis”, aponta.

 

Petrópolis Sob Lentes pode ser acessado pelo site, ou então pelo canal do YouTube (Petrópolis Sob Lentes), Instagram (@petropolisoblentes) e Facebook de mesmo nome.

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem