Sr. Lino da Relojoaria Ângelo


Série de curtas

"Petrópolis sob as lentes da tradição" é  idealizada pela jornalista Carolina Freitas

 

A história de Petrópolis é bem conhecida: primeira Cidade Imperial das Américas, paixão de Dom Pedro I e berço de Dom Pedro II, além de palco de momentos importantes da história do país. Mas desde a sua fundação, em 1843, a antiga Fazenda do Córrego Seco se transformou na segunda maior cidade do interior do Rio de Janeiro e muitas outras histórias passaram a ser vividas. Esse passado menos distante começou a ser revivido em 2018, através do olhar da jornalista Carolina Freitas, que iniciou uma série de reportagens sobre o antigo comércio de rua.  

 

As memórias sobre lojas tradicionais se desdobravam não apenas sobre o comércio, mas também sobre a vida, o convívio entre as pessoas e,em muitos casos, o resgate de uma cidade que já não existe mais.Com rico acervo sobre a história de Petrópolis dos últimos 50 anos, o projeto já virou livro: “Petrópolis: o comércio de ontem, a saudade de hoje”, de autoria de Carolina, e agora ganha uma nova etapa: a série de curtas-metragens: "Petrópolis sobas lentes da tradição".



Os curtas serão publicados no site http://petropolisoblentes.com.bre no canal do Youtube do Petrópolis Sob Lentes a cada três semanas.No site, já estão disponíveis todas as reportagens publicadas pelo jornal Tribuna de Petrópolis. No total, foram mais de 100 matérias que contaram a história da cidade com esse olhar nostálgico. 

 

"O 'Petrópolis sob as lentes da tradição' é um desdobramento do projeto iniciado em 2018. Durante a pandemia me senti na obrigação de proporcionar alguma ação que valorizasse o comércio tradicional ativo e os comerciantes que há décadas escrevem sua própria história, enquanto contribuem intimamente para a trajetória do município. É um projeto que tem me forçado a sair da zona de conforto e a tentar coisas novas. Fora que é muito emocionante registrar a história assim", disse a jornalista. 

 

Para esta nova etapa, ela conta que está colocando a mão na massa, em um trabalho praticamente artesanal. "Faço de tudo: dos roteiros às entrevistas, gravações com meu próprio celular e edição. Percebi que se dependesse de equipamentos profissionais, a ideia teria que ser adiada pela falta de verba, então optei por me render à empreitada com o que tinha em mãos", disse.



O primeiro episódio da série de curta-metragens conta a história do conhecido senhor Lino, da Relojoaria Ângelo. Tradicional em Petrópolis, o estabelecimento vai completar 65 anos em 2021, sob ocomando da mesma família - uma história de preservação do passado no presente. As badaladas do curta-metragem representam claramente o ofício do comerciante.  

 

O curta já pode ser visto pelo link do canal do Petrópolis Sob Lentes no Youtube: (https://cutt.ly/rhF0qMq). "Não poderia ter dado início à série em um local melhor. O Petrópolis Sob Lentes pretende refletir o ontem através das lentes de hoje,fazendo com que a nostalgia caminhe lado a lado com a modernidade,usando a tecnologia a nosso favor para preservar a memória e tornar isso possível", afirmou a jornalista.

 

O sucesso e a relevância da iniciativa de Carolina Freitas podem ser medidas de diversas formas. Em três anos, o site "Petrópolis Sob Lentes" não só conquistou mais de 48 mil visitas como foi agraciado com o prêmio Maestro Guerra-Peixe de Cultura 2020.


A série de reportagens também foi eternizada no livro lançado no início do ano e a jovem jornalista também conquistou em 2019 o prêmio Alcindo Roberto Gomes de Jornalismo, concedido pela Academia Petropolitana de Letras (APL).


Assista ao vídeo: 





Leia também:


Jornalista aproxima o ontem e o hoje em site Petrópolis Sob Lentes


Conheça os vendedores da 11ª edição do Prêmio Guerra-Peixe de Cultura em Petrópolis

 

 Escola de Musica Santa Cecília tem novo presidente


 

Post a Comment

Gostou da matéria? Deixe seu comentário ou sugestão.

Postagem Anterior Próxima Postagem
 https://www.unimed.coop.br/web/petropolis